#13 – Eles estão aqui

10/04/2018 às 15:07. Tags: . Comente esta notícia!

A história de hoje é pra lá de complicada:

De repente deu um ruim nele, com suas sacolas escorregando por entre os dedos, espalhando suas cervejas pela calçada. Uma súbita dor havia disparado em seu peito, fazendo com que desabasse inconsciente em frente ao mercado municipal.

Entre alvoroços e burburinhos, um desconhecido rompeu a resistência dos curiosos, se aproximando do homem caído. Logo concluiu tratar-se de uma parada cardiorrespiratória, iniciando de imediato as compressões torácicas seguidas de ventilação boca a boca.

Ele não conseguiu reverter a parada, mas lhe forneceu oxigênio e dinâmica cardíaca suficientes até a chegada da ambulância, com um desfibrilador portátil.

Ao desabotoar a camisa para a aplicação do choque elétrico, todos foram surpreendidos.

No lado esquerdo do peito do homem, a tatuagem de uma suástica nazista gigante.

Ela não estava sozinha.

Espalhadas pelo tórax e braços, inúmeras mensagens de intolerância, cada qual especialmente dedicada a judeus, gays, negros e nordestinos. Em cada centímetro de tinta, uma impressão carregada de ódio e intolerância.

Nazistas, fascistas, nacionalistas, punks, skinheads… eles estão aqui faz tempo, perambulando pela cidade em grupos fechados, orgulhosos por defender interesses como nação, família e superioridade racial. Quando em bando são corajosos, exercendo sua justiça feroz sobre pessoas frágeis. Curiosamente, fica difícil imaginá-los defendendo seus nobres valores contra traficantes, políticos, sequestradores ou ladrões de banco.

Apesar do impacto visual, o atendimento àquele homem foi realizado com presteza e respeito. Nas emergências das ruas existe muito pouco espaço, e tempo, para coisas minúsculas como o preconceito.

Levado às pressas para o pronto-socorro, ele sairia de lá com uma vida plena e saudável pela frente. Afinal, é o que todos merecemos, não é?

Naquele dia, quando inconsciente na calçada, alguém salvou sua vida.

E é uma pena ele não ter visto que se tratava de um rapaz negro.

Pense nisso. Até a próxima, se cuida!

 

Dr. Carlo Valério Andrade

Médico – Clínica Geral – CRM-PR 35.499

Agende sua consulta pelo número (41) 3155-2500

 

#13 – Eles estão aqui
Duração:
|
Tamanho: 2.46 MB