#27 – Carceireiros

18/04/2018 às 15:20. Tags: . Comente esta notícia!

Era quatro da manhã quando ele levantou num susto. Catou sua arma debaixo do travesseiro e correu pela casa, em busca de alguma porta para o jardim dos fundos.

O detalhe é que ele não estava em uma casa. Estava em seu apartamento no primeiro andar. Num pesadelo em que um criminoso lhe perseguia, atravessou em disparada a sacada, despencando de uma altura de uns quatro metros. No lugar do sonhado gramado macio, acabou acordando todo estatelado numa calçada gelada, sólida e bastante real.

Ser sonâmbulo é mesmo um negócio perigoso.

Mas o que despertou a atenção na sala de emergência não foi seu sonambulismo, tampouco suas pernas quebradas.

Caro leitor, nosso homem pássaro era um agente prisional.

Talvez, por si só, isso explique a origem de seus pesadelos.

Vou folheando seu prontuário e me surpreendendo com a quantidade de medicamentos listados. Remédios para dormir, para acordar, para ansiedade, depressão, gastrite, constipação, pressão alta…

Todos os dias, esses trabalhadores são hermeticamente encarcerados para impedir que o pior da sociedade escape para as ruas.

É uma tarefa quase impossível. Nossos presídios e penitenciárias são buracos supostamente criados para modificar infratores. Na prática, modificam apenas para o mal. Na ponta da lança está o carcereiro, exposto a um ambiente doentio, recheado de ódio, conflitos e ameaças.

Então, o agente penitenciário vive uma liberdade curiosa. Ao contrário dos detentos, ele pode voltar para casa. Mas isso não significa que ele saia do inferno

Não mesmo.

Pense nisso. Até a próxima!

#27 – Carceireiros
Duração:
|
Tamanho: 1.95 MB