Vovô de 100 anos que malha, pesca e dirige é homenageado

18/10/2018 às 10:50.

Um vovô de 100 anos é uma verdadeira inspiração de vitalidade. Apesar da idade, ele malha, pesca, dirige e passeia com amigos!

Antônio Genez Parise é de Avaré, no interior de São Paulo e ganhou uma homenagem: tem uma academia na cidade com o nome dele, como exemplo de determinação e inspiração para os moradores.

O aposentado conta que o segredo para tanta vitalidade é aproveitar cada momento e não se importar com a idade. O importante é ter força de vontade.

“A vida é igual está no meu livrinho, um manso lago azul. Horas alegres cantando e horas triste chorando. Tem que aproveitar”, disse ao G1.

Academia

Na academia que frequenta, em um clube da cidade, o idoso chama a atenção. Dante Villardi treina com ele e afirma que todos se inspiram no aposentado.

“É uma inspiração com sua idade, vitalidade e, principalmente , pelo prazer dele em ir treinar”, diz.

Durante os treinos, Antônio conta com ajuda profissional da treinadora Rosana Tiburcio. Para Rosana, ele é um ótimo aluno.

“O senhorzinho não aparenta toda essa idade não. É centenário. Ele dá muito trabalho, chega na academia e nós temos que atender e fazer todo o procedimento, mas dou muitos elogios. Ele é um ótimo aluno assíduo e diariamente se encontra na sala de musculação”, conta.

Seu Antônio trabalhou como alfaiate e foi juiz de cartório por 65 anos. Ele casou mais de 10 mil pessoas.

Viúvo, ele tem dois filhos: um que mora nos Estados Unidos e o outro em São Paulo.

Antonio Genez Parise - Foto: Reprodução/TV TEM

Antonio Genez Parise – Foto: Reprodução/TV TEM

Habilitação

Seu Antonio conta que lê sem usar óculos e que foi fácil renovar a Carteira de Habilitação.

Ele afirma que sempre gostou de dirigir, ter independência e resolveu, mesmo com a idade, renovar a Carteira.

Nascido em 8 de agosto de 1918, ele pode dirigir até 2019.

“A mocinha falou brincando para mim que eu tinha 100 anos e não precisava tirar mais. E eu falei que queria sim. Eu fiz todos os testes. Leio até jornal sem óculos e está tudo funcionando. Passei”, afirma.

Pescador

Seu Antônio diz que costuma ir até a represa de Jurumirim (SP) para pescar com um amigo.

É justamente o fisioterapeuta dele, que tem 27 anos, ou 73 anos a menos que o colega de pescaria.

“Ele me ensinou não só a maneira de pensar, mas muita coisas, como a força de vontade, e saber que é possível chegar a certa idade podendo aproveitar”, diz Gustavo Henrique Rodrigues.

Com informações do G1