Viagem de Uber que levaria 5 minutos passa de 40 e deixa curitibana assustada

10/12/2018 às 08:18.

O desabafo de uma jovem curitibana postado recentemente nas redes sociais deixou muita gente apreensiva em relação ao uso de aplicativos de transporte. Segundo o relato, uma viagem pedida via aplicativo do Uber, que era para ter demorado 5 minutos, acabou levando 45, com o motorista ignorando o trajeto do GPS e levando a jovem até um local distante da cidade, completamente fora da rota programada. Ela relatou o caso à Uber e registrou boletim de ocorrência na polícia.

O “susto” só não foi maior porque a jovem, após pedir várias vezes para que o motorista retornasse, compartilhou a viagem com amigos, para que eles estivessem cientes da localização dela. Só após a moça ter informado isso ao motorista é que ele decidiu retornar ao trajeto correto. A “aventura” não rendeu consequências maiores à jovem, mas ela preferiu fazer o alerta para que outras pessoas não passem pelo mesmo transtorno.

De acordo com o relato, o motorista do aplicativo disse que havia um problema no GPS, que era normal. “Nessa hora eu percebi que tinha algo estranho e compartilhei a localização com umas amigas e disse: ‘gente, tô com medo, se eu parar de responder…’ e ele continuou, até que chegamos em um bairro mega distante, já fazia mais de 20 minutos que eu estava no carro e chegamos em uma rua deserta. Ele foi diminuindo a velocidade do carro e deu duas buzinadas e foi continuando devagar. Nessa hora eu gelei inteira. Minha amiga que estava acompanhando a viagem me mandou uma mensagem dizendo ‘amiga, sai do carro agora que ele tá te levando cada vez pra mais longe’”, contou a jovem no post.

Foi aí que ela avisou o motorista que estava compartilhando a viagem com outras pessoas. “Nisso, a feição dele mudou e ele disse que era o GPS, então eu ofereci pra pôr o meu celular no GPS, mas ele não quis. Pedi que reiniciasse o celular, já que o GPS estava ‘travado’, ele não reiniciou, simplesmente mudou de aplicativo e anotou meu endereço e foi seguindo o caminho…”, completou a estudante.

A empresa Uber, em nota, informou que o motorista foi desativado da plataforma após a apuração da denúncia feita pela usuária. A Uber ressaltou ainda que todas as viagens são registradas por GPS e os motoristas parceiros sabem que há registro do percurso realizado. “O app também possui o botão de recursos de segurança para usuários que permite, a um simples toque, compartilhar informações da viagem em tempo real com contatos de confiança e ligar para a polícia. Isso permite que, ao longo de todo o trajeto, seja possível compartilhar a localização e a previsão de chegada em tempo real com quem o usuário desejar, por redes sociais ou mensagem”, diz um trecho da nota.

Sequestro relâmpago

De acordo com o delegado-adjunto do Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (T.I.G.R.E.) Cristiano Quintas, especializado em casos de sequestro e ações de resgate de reféns, não há registros em Curitiba de casos de sequestro-relâmpago ou de cárcere privado por motoristas de aplicativos, mas é importante tomar precauções para esse tipo de situação não ocorra.

“A nossa preocupação maior é que a pessoa contrate um serviço real. Já tivemos relatos de pessoas se passando por Uber ou Cabify. Isso ocorre geralmente nas proximidades de rodoviárias e aeroportos. E aí o motorista entra com um papo de pagar por fora do aplicativo para ser mais barato. Aí, como a viagem não é registrada, pode acontecer de tudo, como se fosse um transporte clandestino”, orienta Quintas. Por isso, é importante sempre chamar o serviço via app.

O delegado afirma que as empresas de aplicativos normalmente colaboram com a polícia, repassando os dados dos motoristas e das viagens quando solicitado e que existe uma seleção dos candidatos a motorista, mas que sempre pode haver falhas. “O mais importante é denunciar qualquer irregularidade, até para que, se for o caso, esse motorista seja excluído”, diz.

Compartilhar as viagens é uma boa solução. A maioria dos aplicativos permite essa função e até os próprios aparelhos celulares, conforme lembra o delegado. Uma dica para o dia a dia, independentemente dos aplicativos, é permitir que algum familiar tenha ideia do seu itinerário. É possível habilitar o smartphone para essa função de rastreamento. “O que ocorre, muitas vezes, é que a pessoa quer manter a privacidade e desabilita essas funções. Então, ela precisa colocar na balança a questão da segurança versus privacidade”, pontua Quintas.

Registre a ocorrência

Num caso com o da jovem que relatou o desvio de rota do motorista, o delegado orienta que a primeira coisa a fazer é avisar a empresa do aplicativo e, se for o caso, registrar um B.O. na delegacia.

Desvio de trajeto de curta duração, que ocorre inclusive com táxis e outros meios de transporte, não configura sequestro, segundo o delegado, mas pode ser enquadrado como estelionato, caso a empresa ou o motorista não devolvam o dinheiro cobrado a mais. Em casos de assédio, pode-se registrar uma ocorrência por importunação ofensiva ao pudor, que é considerada crime.

Quintas lembra que no início da implantação desses aplicativos de transporte os casos de assédio sexual eram mais comuns, mas como as mulheres foram denunciando, os motoristas acabaram excluídos do serviço e os casos hoje em Curitiba, felizmente, são raros.

Outras dicas de segurança

Uma dica bacana de segurança é chamar o carro de um local seguro e não ficar muito tempo na rua com o celular na mão. Além disso, a pessoa deve se dirigir ao local de partida quando o aplicativo sinalizar que o carro está chegando. Também é importante sempre verificar a placa do veículo, o modelo e o nome do motorista para ver se batem com o que está no aplicativo.

Prefira o caminho traçado pelo GPS, caso você não conheça bem o local por onde está viajando. Ao chegar ao destino, peça ao motorista para que finalize a corrida e não se esqueça de avaliar esqueça de avaliar a corrida, pois isso ajuda o aplicativo a melhorar o serviço para os usuários.

Como compartilhar viagens no:

Uber

Nas cidades onde o recurso “compartilhar minha viagem” está disponível você pode compartilhar a localização, o status e as informações da sua viagem com familiares e amigos. Você pode controlar quem recebe as informações e quando compartilhá-las.

“1 – No app, acesse “configurações”, depois selecione “compartilhar minha viagem” e aí toque no botão para ativar o recurso;

2 – Toque em “selecionar contatos”, depois procure os nomes das pessoas com quem você quer compartilhar suas viagens;

3 – Para compartilhar a viagem durante o trajeto, toque no ícone do marcador, no canto superior esquerdo do mapa. Se aparecer um símbolo azul, a localização está sendo compartilhada;

4 – Para desabilitar o compartilhamento, toque no ícone novamente e escolha a opção “interromper compartilhamento”.

99

Basta clicar no botão de segurança no canto inferior da tela e selecionar a opção de compartilhamento. Depois, é possível selecionar qualquer contato da agenda telefônica para enviar um link por e-mail, SMS ou mensagem instantânea. Parentes, amigos e conhecidos poderão ver o percurso em tempo real e as informações do motorista. Através do mesmo botão de segurança, é possível ligar automaticamente para a polícia e adicionar e telefonar para contatos de confiança.

O serviço possui ainda um canal de atendimento exclusivo para incidentes de segurança no 0800-888-8999. A assistência oferece auxílio imediato – que pode incluir o envio de um carro em ocorrências em que o veículo tenha sido levado, por exemplo.

Cabify

A funcionalidade é disponibilizada com o início da corrida e gera um link que pode ser compartilhado com os contatos dos passageiros. Para acompanhar a viagem, basta acessar o link por um navegador.

1 – Faça a solicitação do seu veículo Cabify com os endereços de partida e destino;

2 – Envie a rota em tempo real ao selecionar “compartilhar”, opção disponível a partir do momento que um motorista parceiro aceitar a corrida. Em seguida, escolha o aplicativo de mensagens no smartphone e o contato para enviar o link;

3 – Envie o link de compartilhamento. A pessoa que receber poderá acompanhar todo o trajeto em tempo real por meio de um navegador de internet.

A Cabify também disponibiliza um botão de segurança, que está facilmente acessível durante toda a viagem no mapa da corrida, sendo exibida na lateral direita do aplicativo. Caso o passageiro se encontre em uma situação de emergência, ele pode entrar em contato direto com as autoridades policiais locais ao clicar no SOS. A empresa reforça que este recurso deve ser utilizado apenas para relatar incidentes relacionados à segurança do passageiro ou do motorista parceiro.

Via: Tribuna do Paraná