Unicesumar usa “máquina de cola” e diplomas falsos em campanha de conscientização

18/10/2018 às 09:50. Comente esta notícia!

Imagine que você tem uma prova, mas não estudou e “colar” é a única alternativa para se sair bem. Qual seria a sua reação se, para facilitar, uma vending machine ajudasse a “fazer uma cola” em bonés, unhas postiças ou em outros produtos?

Para ironizar a “cola”, carregada de sentimento de vergonha alheia de quem recorre a trapaças para ir bem nas provas, a Unicesumar, um dos dez maiores grupos educacionais do país, vai instalar a máquina de autosserviço no Shopping Curitiba, nos  dias 18 e 19 de outubro. Durante os dois dias, câmeras flagrarão a reação das pessoas que optam pelo falso serviço.

A ação faz parte da campanha “Cola Não Rola”, que a instituição realiza durante todo o mês, e convida estudantes à reflexão e, se for preciso, a mudar o comportamento.

A campanha busca mostrar que a “cola” é uma parte negativa da cultura do jeitinho brasileiro e admitir que transgredir uma regra para levar vantagem não faz mal. Isso não é esperteza. É enganação. É trapaça, não só contra a instituição de ensino, mas contra si mesmo. Para isso, algumas frases da campanha são rígidas – ‘Cola não forma, deforma’ ou ‘Cola é corrupção’ –, e merecem atenção para que os estudantes entendam que “colar” é autoengano e autossabotagem, além de uma forma de corrupção.

Ponta Grossa

Em Ponta Grossa, no dia 17, os estudantes da Unicesumar vão participar de uma ação de concessão de um diploma falso de Bacharel em Fraude. Os canudos serão distribuídos em salas de aula para provocarem o debate entre os alunos sobre o ato de “colar”.

Vídeos

Para conscientizar estudantes, não apenas da instituição, sobre o processo de fraude que caracteriza o ato de “colar” nas provas e que provoca lacunas no conhecimento, a instituição lançou dois vídeos no início deste mês.

Em um deles, um médico, durante um transplante de coração, é alertado pela assistente: “Não senhor, primeiro o cateter três graus na carótida esquerda”. O profissional, então, olha para a palma da mão onde tem desenhada a anatomia do coração para poder prosseguir o procedimento de alto risco.