Ao Vivo

Uber traz novidades para checagem de passageiros em corridas

04/09/2020 às 08:28.

A Uber anunciou nesta quinta-feira (3) em um evento online alguns recursos que irão alterar a checagem de documentos dos usuários e aumentar a rigidez no protocolo dos restaurantes que entregam alimentos pelo aplicativo. Ainda no encontro, a direção relatou que está investindo R$ 50 milhões em assistência financeira para parceiros que foram infectados pelo coronavírus ou que pertencem ao grupo de risco.

A principal novidade é para quem irá fazer a primeira viagem. As pessoas que solicitarem terão de tirar uma foto do documento de identidade (RG ou CNH), além de passar pela verificação existente de CPF. O diretor do Tech Center da Uber no Brasil, Marcello Azambuja, comentou que a empresa investe muito na questão de segurança tanto para o motorista parceiro como para o usuário. “”Temos um centro de desenvolvimento no Brasil focado em segurança. A tecnologia é um fator crucial para o desenvolvimento de medidas escaláveis e permite enfrentar a violência urbana. A Uber conecta pessoas no mundo digital para se encontrarem no mundo real e está comprometida em diminuir riscos e aumentar a segurança de todos que usam a nossa plataforma”, resumiu Marcello.

Já para os restaurantes cadastrados no Uber Eats, a ideia é reforçar que todos os procedimentos precisam estar em extrema ordem para evitar qualquer tipo de problema para quem faz o pedido. Em tempos de pandemia, o cuidado precisa ser ainda mais valorizado e isto inclui o próprio entregador. Mariana Esteves, gerente sênior de produtos, acredita que este rigor no ckecklist também vai atingir a forma da entrega. “Os entregadores parceiros agora também vão passar a receber conteúdos educativos sobre melhores práticas no trânsito. Desenvolvemos esse material em parceria com especialistas em segurança viária”, explicou Mariana.

Investimento na pandemia

No evento, A Uber informou que está investindo R$ 50 milhões em ações que incluem assistência financeira para parceiros que foram infectados pelo coronavírus ou que pertencem ao grupo de risco. Os recursos incluíram reembolso de materiais de limpeza, como álcool em gel e máscaras, higienização de mais 60 mil carros e mochilas de entrega e instaladas em 26 mil divisórias por meio de centros de higienização instalados em nove cidades.

Via: Tribuna Do Paraná