Ao Vivo

TRISTE: Bebê morre após pai adormecer e se virar em cima dele em MT

05/02/2021 às 09:03.

Foto ilustrativa: Bebê foi socorrido e levado para o Hospital Reigional de Sorriso (Foto: Shutterstock)

Um bebê, de apenas cinco meses, morreu tragicamente na última segunda-feira (1). O caso  aconteceu no bairro de Boa Esperança, no município de Sorriso, em Mato Grosso. Segundo informações da Polícia Civil de Mato Grosso, um casal estava com a criança na cama quando o pai adormeceu e acabou se virando em cima do filho.

O bebê foi socorrido e levado para o Hospital Regional de Sorriso após sofrer uma parada cardiorespiratória e ficar sem batimentos cardíacos. Infelizmente, a criança não resistiu e acabou falecendo. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. 

Procurada pela CRESCER, a assessoria da Polícia Civil disse que não poderia passar o contato dos familiares. 

CAMA COMPARTILHADA 

A cama compartilhada é perigosa? Há controvérsias, mas grande parte dos pediatras é contra. “O recém-nascido é frágil. Durante o sono profundo, os pais podem se movimentar na cama e esmagar o filho, sem querer”, explica Maria Cristina da Silveira, pediatra do Hospital Pequeno Príncipe (PR). Além disso, o sistema respiratório nesse período ainda é imaturo.

Ao dormir muito próximo aos adultos, o bebê inalará o gás carbônico exalado pelos pais. “Isso diminui o fluxo de oxigênio para a criança e prejudica o organismo dela.”  É claro que, nos primeiros meses de vida do seu filho, você quer passar a noite com ele e vigiá-lo de pertinho. Afinal, é cansativo se levantar tantas vezes para amamentar durante a madrugada. Mas, para evitar o risco de acidentes, posicione o berço ao lado da cama do casal – é uma forma mais segura de velar o sono do recém-nascido.

QUAIS CUIDADOS TOMAR? 

– Sofás, camas d’água e outras superfícies improvisadas são perigosas. Eleja um colchão firme, que pode ser colocado direto no chão ou em uma cama de casal, oferecendo espaço suficiente para acomodar a família.

– Posicione a cama no centro do quarto, longe das paredes e sem formar nenhum vão em que o bebê possa ficar preso, asfixiando-se. Ao contrário do que crê o senso comum, as quedas não são a principal ameaça e, sim, esses espaços. Mas, se tiver receio e quiser se sentir mais seguro, forre o chão com travesseiros ou outro colchão, garantindo uma proteção extra.

– Verifique se o ambiente está bem ventilado, sem excesso de calor – não exagere na quantidade de roupas do bebê, uma peça a mais do que você é suficiente para aquecê-lo.

– Se você tem outro filho ou um pet, saiba que eles não podem compartilhar a cama com o bebê – somente a mãe e o pai.

– Evite edredons, cobertores e travesseiros grandes. Utilize apenas uma manta leve – sem cobrir a criança acima do tórax – e um travesseiro fino para cada um dos pais. Nos dias frios, opte por vestir pijamas mais quentes.

– Bichos de pelúcia, almofadas e quaisquer objetos são contraindicados.

– Os adultos devem prender os cabelos, se forem compridos, evitar pijamas com cordinhas, que possam enroscar no bebê, e retirar joias.

– O indicado é que o bebê seja colocado de barriga para cima – posição que reduz a ocorrência de morte súbita –, próximo à mãe, e que o pai se deite atrás dela. Essa disposição é mais segura pelo fato de a mulher ter um instinto de alerta mais aguçado em relação ao filho.

 – Os dois adultos devem reforçar a consciência de que o bebê está na cama, enviando essa informação ao cérebro, a fim de manter a devida atenção, mesmo durante o sono.

– A amamentação é um fator importante de proteção contra morte súbita. Bebês que não mamam no peito requerem cuidado redobrado.

Via: Revista Crescer