Três funcionários pedem demissão a Harry e Meghan em seis meses e acendem luz vermelha; saiba detalhes de jornal britânico

14/11/2018 às 10:42. Comente esta notícia!

Príncipe Harry e Meghan Markle perderam três funcionários nos últimos seis meses, segundo o jornal britânico Daily Mail. Além da assistente pessoal da duquesa de Sussex, Melissa, outros dois secretários do casal, Samantha Cohen e Edward Lane Fox, também pediram demissão.

De acordo com a publicação, um informante do Palácio de Kensington deixou claro que a funcionária Melissa “é uma pessoa extremamente talentosa que desempenhou um papel fundamental no sucesso do casamento real”, realizado em 19 de maio deste ano. Uma fonte do jornal ainda comentou: “É um verdadeiro choque. Por que ela iria querer deixar um trabalho de tamanho prestígio tão cedo?”.

Harry e Meghan após cerimônia de casamento. (Foto: Gareth Fuller – WPA/Getty Images)

Já Samantha Cohen trabalhou com a família real por 17 anos e foi apelidada de “Pantera” por sua abordagem resoluta ao trabalho. Ela, inclusive, chegou a ser secretária particular da rainha Elizabeth II. Segundo o jornal britânico, a profissional foi descrita como “profundamente comprometida em servir à monarquia” e recebeu a tarefa de preparar Meghan para sua vida como membro da realeza no início deste ano.

Enquanto isso, Edward Lane Fox foi descrito como a “mão direita do príncipe Harry“, mas está deixando seu cargo depois de cinco anos trabalhando com o duque de Sussex.

Ainda segundo o Daily Mail, um assessor do Palácio disse: “Perder um membro da família poderia acontecer a qualquer um. Perder três em poucos meses está começando a parecer uma debandada“.

O biografo real Robert Jobson afirmou em seu novo livro, “Charles At Seventy”, que os preparativos para o casamento de Meghan e Harry eram tão estressantes que o príncipe se tornou “petulante e mal-humorado” com os funcionários. Já a antiga assistente de Meghan, Gina Nelthorpe-Cowne, descreveu a duquesa de Sussex como “exigente” e contou que ela descartava instantaneamente aqueles que não compartilhavam com a sua mesma “visão“.