Tratamento experimental salva vida de mulher com câncer de mama terminal

07/06/2018 às 14:39. Comente esta notícia!

A americana Judy Perkins, 49 anos, foi diagnosticada pelos médicos com apenas três meses de vida restantes por conta do seu estágio avançado de câncer de mama.

Tal prognóstico foi dado a dois anos atrás, em vista da falta de respostas de Judy a tratamentos convencionais e os inúmeros vestígios do câncer espalhados pelo seu corpo, como tumores do tamanho de uma bola de tênis em seu fígado e em outras partes do corpo.

Foto: Arquivo pessoal/Reprodução

Porém, em uma última tentativa, a mulher foi submetida a um tratamento experimental que consistia na aplicação de 90 bilhões de células imunológicas do seu próprio sistema com o objetivo de combater o tumor.

“Cerca de uma semana depois [do tratamento experimental], eu comecei a sentir algo. Eu tinha um tumor no peito e conseguia senti-lo encolher. Uma ou duas semanas depois, ele desapareceu”, contou Judy em entrevista a BBC.

A cura foi proporcionada pelo tratamento pioneiro conhecido por ser uma “droga viva”. Ainda em fase de testes, o método é usado em pacientes que passam por análises genéticas e que são identificados com as raras mutações que podem ser combatidos pelo sistema imunológico.