Ao Vivo

Tomar melatonina para dormir sem ter indicação médica te coloca em risco, diz psiquiatra

13/08/2019 às 09:02.
insonia olhos vermelhos 1118 1400x800
Eduard Muzhevskyi/shutterstock

Cuidado: tomar melatonina para dormir sem ter indicação e acompanhamento de um médico oferece um grande risco à sua saúde. É o que alerta o psiquiatra Caio Bonadio.

Uma boa noite de sono é sinônimo de humor sob controle, alívio de estresse, metabolismo e hormônios regulados, capacidade de concentração e até mesmo manutenção e perda de peso. Considerando que o sono atua em tantas frentes, é possível ter uma dimensão de como a ausência ou a dificuldade para dormir nos afeta. Por isso, algumas pessoas recorrem à medicamentos para tentar recuperá-lo e, um deles, é a melatonina.

O que é melatonina?

alzheimer memoria cerebro 0119 1400x800
Naeblys/shutterstock

De acordo com o especialista, a melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal, que fica no cérebro.

Em uma pessoa normal, ela começa a ser produzida assim que o sol se põe, atinge o máximo de concentração na madrugada e volta a cair quando o sol nasce.

Ela é responsável por controlar o processo circadiano do nosso ciclo sono-vigília, ou seja, o “relógio biológico”.

Quando ela é utilizada como medicação?

tomar remedios 0816 1400x800 1
Dima Sobko/shutterstock

O profissional explica que o hormônio da melatonina só é indicado em 2 situações na medicina do sono: transtornos do ritmo circadiano e transtorno comportamental do sono REM.

Outras situações em que ela pode ser usada: pacientes com câncer e dor crônica, crianças autistas com insônia, idosos com deficiência de produção de melatonina e pessoas com demência.

Contudo, o que vem acontecendo é que algumas pessoas com problemas para dormir estão recorrendo ao hormônio com automedicação, sob a justificativa de ser natural.

Riscos da melatonina

acordada insonia sono 1216 1400x800
martin-dm/istock

Ocorre que a melatonina é um hormônio e pode causar efeitos colaterais se utilizada de maneira indiscriminada. Caio explica ainda que quando a melatonina é utilizada na medicina do sono, a dose inicial é de 1mg e há pessoas administrando o hormônio já com 10 mg.

Os efeitos da melatonina mal utilizada no organismo pode gerar sonolência durante o dia, dor de cabeça, náusea e hipotermia. Efeitos colaterais menos comuns, mas ainda assim possíveis, incluem cãibras, irritabilidade, alterações cognitivas e redução da pressão arterial.

View this post on Instagram

Contribuição externa ao grupo do @saudehonesta. Texto do Psiquiatra Caio Bonadio @caionosono A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal, que fica no cérebro. Numa pessoa normal, ela começa a ser produzida assim que o Sol se põe, atinge o máximo de concentração na madrugada e volta a cair quando o Sol nasce. Ela é responsável por controlar o processo circadiano do nosso ciclo sono-vigília, ou seja, o “relógio biológico”. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Existem 2 indicações formais para o uso da melatonina na medicina do sono: transtornos do ritmo circadiano e transtorno comportamental do sono REM. Outras situações em que ela pode ser usada: pacientes com câncer e dor crônica, crianças autistas com insônia, idosos com deficiência de produção de melatonina e pessoas com demência. Qualquer outra situação em que ela é usada não tem evidência de que funcione. Portanto, se você usa melatonina por conta própria, sem acompanhamento do médico especialista, você está fazendo uma terapia hormonal, com possíveis efeitos colaterais. Os mais comuns são sonolência diurna e pesadelos. Hoje em dia, existe um uso indiscriminado da melatonina, sob a premissa de que ela é natural. Melatonina é um hormônio! Vejo pessoas começando a usar melatonina de 10mg para dormir, o que não tem sentido algum. Para vocês terem uma ideia, quando usamos a melatonina na medicina do sono, começamos com 1mg, dose máxima até 12mg. Melatonina NÃO serve para tratar insônia. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Antes de tomar qualquer medicação para insônia, deve-se investigar os hábitos de sono do paciente, sua rotina de trabalho, se usa ou não alguma medicação, se usa substâncias ilícitas, se tem algum problema de saúde e até perguntar como é o quarto do paciente (sim, é isso mesmo que você leu). Mais de 90% dos casos de insônia são resolvidos com uma boa orientação de bons hábitos de sono ou com a Terapia Cognitiva Comportamental para Insônia, que é hoje em dia o tratamento mais eficaz (mais do que qualquer remédio). Não pratique a auto medicação e não use a melatonina para tratar insônia sem antes se consultar com um especialista e corrigir os seus hábitos de sono! #saudehonesta

A post shared by Saúde Honesta (@saudehonesta) on

Via: Vix