Ao Vivo

Seu filho faz birra? Solução de ator para lidar com isso é espetacular e merece ser copiada

14/07/2017 às 15:44.

Ver o filho gritar e espernear em um local público é uma situação que causa constrangimento na maioria dos pais. Preocupados em não incomodar as demais pessoas, eles muitas vezes tentam dar fim à choradeira o mais rápido possível, sem considerar como aquela experiência está sendo absorvida pela criança ou como irá impactar sua formação.

Na contramão dessa atitude, o ator norte-americano Justin Baldoni compartilhou em suas redes sociais um relato íntimo e sincero sobre como procura lidar com as birras de Maiya, sua filhinha de apenas 2 anos. Trata-se de uma perspectiva bastante sensível e respeitosa com relação aos sentimentos da criança.

Birras dos filhos

Justin começa o relato contando que a família Baldoni fazia compras em um supermercado nos Estados Unidos quando a pequena se atirou no chão, no meio da loja, e começou a chorar e fazer a famosa birra. A reação do ator foi ficar apenas parado perto da garota, observando a situação junto com seu pai, o avô de Maiya.

“E agora essa é uma das fotos favoritas que tenho com meu pai. Somos dois homens, juntos, em pé e em silêncio, conectados por um amor incondicional entre si e também por essa crua, nova e pura alma, por quem ambos iríamos até os confins da Terra. Eu só posso imaginar quantas vezes eu fiz a mesma coisa quando tinha a idade dela”, escreveu o ator em seu Instagram.

Na realidade, Justin conta que foi criado em um ambiente que não reprimia suas necessidades de expressão. “Estar confortável no desconfortável: algo que cresci observando meu pai fazer comigo quantas vezes fosse preciso”, escreveu. “Meu pai sempre me deixou sentir o que eu precisava sentir, mesmo que fosse público e embaraçoso. Eu não me lembro de ele dizer ‘você está me envergonhando!’ ou ‘não chore!’”, contou.

Ele acredita que a atitude tanto de seu pai, como de sua família, de deixá-lo liberar as emoções, foi essencial para seu desenvolvimento emocional. E é o que Justin e a mulher pretendem fazer com Maiya.

“Nossos filhos estão aprendendo e processando tanta informação, e eles não sabem o que fazer com todos esses novos sentimentos que surgem. Esforço-me para lembrar minha filha que está tudo bem se ela sentir profundamente. Não é embaraçoso para mim quando ela tira bermudas na mercearia ou grita em um avião”, escreveu Justin, sobre um ser humano de poucos anos que realmente começa a descobrir tantos sentimentos e ainda não sabe o que fazer com eles. Se para os adultos, muitos vezes, é difícil lidar com as próprias emoções, para uma criança não poderia ser diferente.

“Não vamos nos sentir envergonhados pelas nossas crianças. Provavelmente devemos ser um pouco mais gentis e pacientes com nós mesmos. Se extravasássemos tudo o que sentimentos e nos permitíssemos chorar quando sentimos necessidade, talvez pudéssemos aproveitar mais a alegria e a felicidade. E isso é, definitivamente, algo que o mundo poderia fazer um pouco mais”, finalizou.

Comportamento das crianças

“Chorar, gritar, espernear e fazer ‘birra’ faz parte do comportamento infantil e acontece, geralmente, a partir do primeiro ano de idade. É uma forma que a criança encontra para expressar suas vontades e demonstrar certa independência”, comenta o psiquiatra Guilherme Torres da Silva, consultor do Consulte Aqui, ao VIX.

Mas e claro que, mesmo sendo comum e dentro da normalidade, o psiquiatra diz que é preciso ter atenção para a quantidade de ocasiões em que ocorre. Se for algo frequente, pode indicar um problema mais sério e, nesses casos, a recomendação é procurar ajuda de um especialista.

Via: Vix