Servidores de Curitiba entram em greve na segunda; serviços devem ser afetados

09/06/2017 às 09:38.
Categoria já havia feito greve geral em abril | Henry Milleo/Gazeta do Povo/Arquivo

Categoria já havia feito greve geral em abril Henry Milleo/Gazeta do Povo/Arquivo

Os servidores municipais de Curitiba vão começar a próxima semana em greve. A categoria definiu na noite desta quinta-feira (8) que vai suspender as atividades a partir das 7h de próxima segunda-feira (12). A decisão foi tomada em assembleia promovida pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba (Sismuc).

Os servidores protestam contra o chamado Pacotaço encaminhado pelo prefeito Rafael Greca (PMN) à Câmara de Vereadores e que deve ser votado em regime de urgência já na segunda-feira. Entre as propostas a que a categoria se opõe estão as mudanças no sistema previdenciário do município; a suspensão da data-base e dos planos de carreira dos servidores; o leilão de dívidas da prefeitura e a criação de uma lei de responsabilidade fiscal municipal.

Com isso, Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), escolas municipais, unidades de saúde, fundações sociais e outros grupos atendidos pelo Sismuc devem ter o serviço afetado parcialmente ou totalmente a partir da semana que vem. Além disso, a Guarda Municipal e o magistério, representados pelo Sigmuc e Sismmac, também aderiram a greve.

Segundo o Sismuc, além da paralisação por tempo indeterminado, um ato está agendado com todos os profissionais da categoria em frente à Câmara Municipal a partir das 7h de segunda-feira. A ação deve se estender ao longo de todo o dia como uma forma de pressionar os vereadores.

 Essa não é a primeira greve organizada pelos servidores e profissionais do magistério neste ano. Em abril, outra paralisação foi registrada em protesto contra o mesmo ajuste fiscal encaminhado pelo poder Executivo à Câmara.

Por meio de nota, a prefeitura de Curitiba informou que não foi comunicada oficialmente da decisão dos sindicatos de entrar em greve. A administração municipal afirmou, porém, que “tem mantido aberto um canal de negociação com os servidores”. De acordo com a nota, desde março, “a Comissão de Negociação com os sindicatos que representam as categorias profissionais do serviço público municipal e representantes da administração estão promovendo uma reunião a cada 2,7 dias úteis”.

Via: Gazeta Do Povo