Sentimos mais empatia por cachorros do que por pessoas

20/12/2018 às 09:44.

Os amantes de cachorro já sabem e uma pesquisa dizendo que pessoas se importam mais com cães do que outras pessoas, irá embasar o discurso.

A revista Society & Animals, publicou um estudo garantindo que seres humanos se preocupam mais com o bem estar de cães do que com os de seus semelhantes. O processo investigativo chefiado por pesquisadores da Universidade de Northeastern, nos Estados Unidos, entrevistou mais de 240 estudantes de graduação.

São homens e mulheres entre 18 e 23 anos de idade, que recebem uma notícia falsa de jornal falando sobre um suposto relatório da polícia no qual uma vítima teria sido atacada com um taco de beisebol.

A pegadinha mora na identidade da vítima. Para confundir os entrevistados, foram selecionados quatro tipos, um adulto, um bebê e dois cachorros, um adulto e outro ainda filhote. As perguntas foram feitas pensando no grau de empatia dos adeptos.

O resultado mostrou que o bebê gerou mais empatia, seguidos pelos filhotes e cães adultos. Os humanos crescidos ficaram em último lugar. Conclusão, os abusos de animais comoveram mais. Isso pode servir de auxílio para a diminuição da violência contra os bichos e claro, para que o ser humano reveja seus conceitos.