Segundo Luisa Mell, ‘Onde tem cão apanhando pode ter mulher agredida’

18/01/2019 às 17:13. Comente esta notícia!

 

 

Luisa Mell esteve envolvida em mais uma denúncia de maus-tratos a um cachorro. Durante as investigações, a ativista dos direitos humanos descobriu um fato inusitado, mas não incomum.

“Sim, ele bate em mim e na minha mãe também”, respondeu uma criança sobre se o pai agredia ou não o cachorro da família. A ativista aproveitou a situação para falar da relação de homens agressores de animais e mulheres.

“Onde tem um bicho apanhando também pode ter uma mulher ou uma criança agredida”, explicou ao Universa.

A constatação de Luisa Mell é endossada pela Polícia Militar de São Paulo. Segundo os militares, maus-tratos aos animais são indicadores de risco de violência doméstica. Indicadores como frieza e perfis psicológicos violentos são indícios fortes.

Uma pesquisa feita por Robis Nassaro no livro Maus-tratos aos animais e Violência contra as Pessoas, mostra que entre 2013 e 2014, perto de 34% das 619 pessoas autuadas por maus-tratos aos animais pela Polícia Ambiental de São Paulo, tinha registros criminais por lesão corporal e homicídio.

A Associação Amigos Defensores de Animais e do Meio Ambiente (AADAMA) revelou, em parceria com a Júnior Projetos Consultoria da Fafire, que 71% das mulheres vítimas de violência doméstica viram seus animais serem ameaçados.

 

Fonte:  Hypeness