Se nada for feito, pneumonia matará 11 milhões de crianças até 2030, alerta estudo

14/11/2018 às 08:43. Comente esta notícia!

A pneumonia matará cerca de 11 milhões de crianças menores de cinco anos até 2030 se nada for feito, de acordo com estudo da Universidade John Hopkins (EUA), em parceria com a ONG inglesa Save the Children, divulgado nesta segunda (12). Só em 2016, 880 mil crianças morreram por causa da doença.

De acordo com o alerta divulgado pelos pesquisadores enquanto a doença é letal principalmente para idosos nos países desenvolvidos, as crianças são as que mais sofrem nos países em desenvolvimento. O relatório estima que os países com os maiores números de mortes de menores de cinco anos causadas pela infecção serão a Nigeria e a Índia com cerca de 1,7 milhões de crianças sucumbindo à doença em cada país, o Paquistão com 700 mil, e a República Democrática do Congo com 635 mil.

Os estudiosos ressaltam, porém, que pelo menos um terço dessas mortes, cerca de 4 milhões de crianças, poderão ser evitadas caso a taxa da cobertura da vacina contra a doença e do acesso a antibióticos baratos aumente no mundo, e mais pequenos tenham a uma boa nutrição.

Atualmente, a pneumonia mata no mundo mais crianças menores de 5 anos do que as mortes infantis somadas causadas por malária, diarreia e sarampo. “A pneumonia é a doença da pobreza”, disse, em nota, o CEO da Save The Children, Kevin Watkins. “É inacreditável que quase um milhão de crianças morram todos os anos por causa de uma doença que nós temos o conhecimento e os recursos para derrotar”.

No Brasil, a vacina pneumocócica, que imuniza contra as bactérias do tipo pneumococos, já faz parte do calendário gratuito de vacinação da criança. Ela deve ser aplicada no segundo, no quarto e no sexto mês, com um reforço no 12º mês, e depois a cada cinco ou seis anos. A partir dos seis meses de vida, a criança também pode tomar a vacina de gripe, que deve ser dada na primeira vez em duas doses e, depois, tomada anualmente no outono.