Sasha Meneghel emagreceu com a dieta da comida em pó

14/08/2017 às 12:47. Comente esta notícia!

Sashameneghel / Instagram

 

Comida em pó. Esse tem sido o cardápio em todas as refeições da filha de Xuxa Meneghel, que está fazendo regime para emagrecer. A dieta, conhecida por favorecer a queima da gordura acumulada no corpo e eliminar definitivamente quilos indesejáveis, foi a mesma utilizado por Luciano, da dupla com Zezé di Camargo, que perdeu 37 kg com o método.

Discreta, a estudante de moda não contou há quanto tempo aderiu ao programa alimentar, mas garante que tem sentido os efeitos positivos no corpo. O mais difícil, revelou Sasha à revista Vogue, é parar de pensar em chocolates, batata fria e pizza.

 

25.07.17 – Saint Tropez – styled by @jucjuca ❤️

A post shared by Sasha Meneghel Szafir (@sashameneghel) on

Dieta da comida em pó: como funciona?

 

Chamada formalmente de Pronokal, a dieta é dividida em fases e promove a perda de peso de forma rápida com base na cetose, processo em que, por falta de ingestão de carboidratos, o metabolismo passa a consumir diretamente a gordura do corpo para transformá-la em energia.

Nas duas primeiras fases, os pacientes só podem ingerir alimentos em sachês que são enviados pelo fabricante. Quem adere ao método precisa encomendar o número certo de sachês para cada semana.

Com um cardápio vasto, os pós para preparo fazem sopas, pães, panquecas e sucos, além de temperos desidratados e alguns tipos de vegetais. Daí que surgiu o nome popular de dieta do alimento em pó. Com o tempo, são liberadas proteínas na alimentação e, em seguida, os sachês são retirados.

Perda de peso rápida

 

A nutricionista chefe da PronoKal no Brasil, Fernanda Caldeira, explicou que a primeira fase da dieta é, sobretudo, proteinada, que consiste em uma alimentação muito baixa em calorias, carboidratos (até 50 gramas ao dia) e gorduras (10 gramas ao dia), mas com a quantidade de proteína adequada a cada pessoa (de 0,8 a 1,2 grama por quilo). Dessa forma, açúcar, frutas, sucos, leite, massas e bebidas alcoólicas estão vetados do cardápio.

Como consequência, o método garante eliminar até 80% do peso que a pessoa deseja perder na fase inicial – ou seja, quem quer emagrecer 30 kg, permanecerá na fase ativa até perder 24 kg, por exemplo. O tempo de duração varia conforme a demanda de emagrecimento do paciente.

O método só pode ser indicado e orientado por um endocrinologista credenciado pela marca, que realiza exames de sangue periódicos no paciente para monitorar se o corpo está se adaptando bem ao método.

 

Riscos para a saúde: dieta é controversa

 

Para a nutricionista cínica e funcional Maria Flávia Sgavioli, da Estima Nutrição, o método, de fato, promove a perda de peso rapidamente, mas pode trazer graves riscos ao indivíduo caso seja feita por muito tempo.

 

Cetoacidose

Isso porque, após um longo período em que o corpo está em cetose, o metabolismo entra em outro processo, chamado de cetoacidose. Ele é responsável por tornar todo o organismo ácido, o que é perigoso.

A acidez do sangue é um risco para todo mundo, mas afeta principalmente os diabéticos. “Em casos extremos, pode levar até mesmo ao coma ou à morte”, afirma a nutricionista.

Entre os sintomas mais comuns da cetoacidose estão enjôos, secura na boca, náuseas, vômitos, dores abdominais, dificuldade de respiração e de concentração. Por isso, o acompanhamento médico é tão necessário. Muitos pacientes não conhecem suas condições e podem estar se colocando em perigoso por motivos estéticos.

Foto: Urfinguss / Istock

Baixa ingestão calórica

 

A nutricionista Fernanda Caldeira, da PronoKal, explica que o valor calórico diário na primeira fase varia de 600 a 800 kcal ao dia. Para comparação, um homem adulto saudável ingere, em média, 2.000 kcal por dia. Esse é outro ponto de discórdia entre as especialistas. “Eu acho que não vale a pena, é um estresse muito grande para o corpo”, fala Maria Flávia Sgavioli.

Para ela, o perigo dessa da baixa ingestão calórica afeta principalmente os praticantes de atividades físicas, que necessitam de uma quantidade energética calórica maior. “A pessoa pode ficar totalmente nauseada, desmaiar, ter câimbras. Para quem vai fazer exercício e esteja no início dela, o ideal é não fazer atividade física”, completa.

Há ainda a questão do estresse causado no corpo pela alta restrição alimentar, que gera, no longo prazo, efeito rebote e mudanças no centro de apetite e saciedade do sujeito. Isso tornaria a manutenção do novo peso muito mais difícil.

 

Comida industrializada

 

A especialista chama atenção para o fato de que, apesar de o fabricante garantir a existência de vitaminas nos conteúdos em pó, a comida não deixa de passar por um processo de industrialização, que adiciona a ela conservantes e outras substâncias.

“É importante falar que, por serem sachês, a absorção de vitaminas nunca será tão boa quanto à do alimento in natura. Querendo ou não é um pó e, para ele se manter consumível, a gente tem que adicionar muita coisa”, afirma.

 

Preço

 

Além do valor das consultas médicas (que variam de acordo com o profissional), pagas pelo paciente, haverá o custo das refeições PronoKal. Cada sachê custa em torno de R$ 22, e o custo médio ao longo do tratamento é de R$ 66 por dia.

Segundo a assessoria de imprensa da marca, o valor é maior nas fases iniciais e diminui nas finais, até chegar ao custo zero na manutenção. Nele também estão inclusos suporte da empresa nas áreas dietética (desvinculado da consulta médica) e de atividade física, além de coaching emocional.

*Valores consultados em agosto de 2018

Fonte: Vix