Ao Vivo

Sanepar garante que não há presença de protozoário que causa Giárdia na água

18/12/2020 às 08:26.

Foto: Arquivo/Tribuna do Paraná.

A Sanepar reafirmou nesta quinta-feira (17) que não há presença de protozoários que causam a Giárdia na água em que realiza a distribuição. O alerta foi emitido depois de várias postagens ligarem um possível surto da doença em cães e gatos a qualidade da água da companhia.

A empresa reiterou que faz um controle rigoroso da qualidade da água diariamente, em todas as etapas do tratamento e na rede de distribuição. Cerca de 100 profissionais, entre bioquímicos, químicos, engenheiros químicos, técnico em alimentos, técnico químico e técnico ambiental garantem a confiabilidade nos resultados de análises de amostras coletadas todos os meses nos 346 municípios e 646 localidades atendidas pela Companhia. 

A análise da água distribuída segue os parâmetros exigidos pelo Ministério da Saúde. A empresa realiza quase 650 mil análises mensais. Portanto, quase oito milhões de parâmetros analisados por ano.

A Sanepar encaminhou inclusive ao Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) todo o detalhamento do processo de controle que garante a qualidade da água fornecida pela Companhia. https://0f776a9451f7370eb69f591ecb87fbd9.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Os resultados das análises realizadas nas saídas dos filtros das Estações de Tratamento de Água que abastecem as regiões indicadas pelo CRMV, onde supostamente haveriam notificações de casos de giardíase em animais, atenderam rigorosamente ao padrão de potabilidade.

Veterinários fazem alerta da doença

Os veterinários de Curitiba estão preocupados com o aumento no número de casos de giardíase em cães e gatos. A doença, que é provocada por um protozoário, pode levar cães e gatos à morte e ainda atingir as pessoas. Ela ataca o intestino delgado e causa distúrbios intestinais.

A qualidade da água foi apontada como um possível fator da doença, o que é descartado pela Sanepar. No entanto, não se despreza a possibilidade que perfurações e contratações de caminhões-pipa irregulares utilizados neste período de estiagem possam estar levando esta doença para dentro de casa.