Requião fica sem cargo após 28 anos. Beto Richa também está fora

08/10/2018 às 08:24.

Na vida pública desde 1983 e se alternando entre o governo do Paraná e o Senado, Roberto Requião (MDB) está pela primeira vez sem um cargo eletivo desde 1990, quando deixou a prefeitura de Curitiba para se eleger Governador.

Foto: Reprodução/Site/ http://www.robertorequiao.com.br

Requião, que está no senado desde 2011, começou a campanha entre os favoritos. Porém, ao longo das últimas semanas, o candidato viu seus números caírem e acompanhou o crescimento de dois rivais, Flávio Arns (Rede) e Oriovisto Guimarães (Pode).

Nas redes sociais, o candidato ‘admitiu’ a derrota já no começo da apuração, e atribuiu a derrota aos institutos de pesquisa e aos ataques sofridos nos últimos dias. “No Paraná as empresas de pesquisa simularam um crescimento de Beto Richa (Ibope) e me liquidaram com o voto útil em Oriovisto e Arns. Além disto, fui atacado com calunias nos últimos dias. Da melhor condição eleitoral do pais para a derrota em 48 horas”, escreveu no Twitter.

Em baixa

O ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), também despencou e teve pouco mais de 371 mil votos (3,72%) e ficou apenas em sexto lugar na disputa pelo senado. No início de setembro, o candidato foi preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em uma fase da Lava Jato, que investigava o programa Patrulha do Campo, que fazia a manutenção de estradas rurais.
Desde então, Richa foi caindo nas pesquisas, mas se mantinha na briga pelo segundo lugar.

Via: Tribuna do Paraná