Rapaz fica ferido após confusão em frente à Casa de Estudante da UFPR

10/10/2018 às 07:40. Comente esta notícia!

Um rapaz ficou ferido após uma confusão em frente à Casa da Estudante da Universidade Federal do Paraná (UFPR), no Centro de Curitiba, na noite de terça-feira (9).

A situação aconteceu por volta das 19h. Neste horário, a Polícia Militar (PM) foi chamada para atender uma ocorrência de briga entre torcedores de futebol e estudantes.

Segundo a PM, quado a equipe chegou ao local, a briga já tinha terminado. A vítima foi levada para um hospital da cidade.

Até a publicação desta reportagem, o hospital não havia informado qual é o estado de saúde do rapaz.

O que diz a UFPR

Por meio de nota, a UFPR informou que aparentemente o motivo da briga seria político. Vidros foram quebrados na Biblioteca Central e na Casa da Estudante Universitária.

A UFPR também disse que fez um Boletim de Ocorrência (B.O.) por danos ao patrimônio e declarou que repudia o ato de violência e de preconceito ou de discriminação.

A instituição ainda afirmou que entende que os espaços universitários são ambientes de debate e do exercício de liberade de opinião.

O que diz o DCE

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFPR usou o Facebook para comentar o caso.

De acordo com o DCE, a justificativa da agressão foi o uso de um boné do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) pelo estudante.

DCE usou o Facebook para comentar o assunto — Foto: Reprodução/Facebook

DCE usou o Facebook para comentar o assunto — Foto: Reprodução/Facebook

Leia a publicação do DCE na íntegra:

“URGENTE!

Estudante da UFPR acaba de ser brutalmente violentado em frente à Universidade por membros de uma torcida organizada aos gritos de “Aqui é Bolsonaro!”.

O estudante sofreu lesões na cabeça causadas por inúmeras garrafas de vidro quebradas pelos agressores. Além disso, houve depredação à Cada da Estudante Universitária de Curitiba (CEUC), que teve vidros quebrados.

A justificativa da agressão foi o uso de um boné do MST pelo estudante.

Resistiremos à barbárie, ao fascismo e à violência. Mais do que nunca, a democracia, o diálogo e a tolerância precisam prevalecer.”