Quer uma casa de praia para o verão? Veja as dicas para escolher o melhor imóvel

29/09/2017 às 14:11.

Praia brava de Matinhos e praia mansa de caioba, no litoral paranaense, cheias de veranistas no ultimo domingo do ano de 2014. Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Depois da casa própria na cidade, o sonho de muitos brasileiros é ter uma casa de praia para passar os fins de semana e feriados em família. Mas cuidado. Para não cair em ‘fria’ ou se arrepender depois, a escolha deve levar em conta alguns elementos.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

O segundo passo é mais fácil. Você deve optar entre um apartamento ou uma casa. “O sobrado vai te dar mais liberdade e espaço para piscina ou churrasqueira, mas um fator que não dá para ignorar no Brasil é a segurança superior que o condomínio proporciona”, avalia Tomazini.

Para não levar susto na hora da compra do imóvel escolhido, atenção para outro ponto importante: verifique antes se a casa ou o apartamento de seu interesse vai exigir o pagamento de taxas extras à União e à Marinha, o que pode ‘salgar’ um pouco mais seu investimento.

Segundo a atual legislação, as terras da Marinha correspondem à faixa de 33 metros a partir do mar e tem base no princípio de garantir o livre acesso às áreas litorâneas para a defesa nacional e para a população. Os valores variam de 0,6% a 5% do valor atualizado do bem, de acordo com a taxa.

 

Movimento na praia de Guaratuba, litoral paranaense, no primeiro dia de verão oficial. Foto: Repodução

Foto: Repodução

Qual o melhor imóvel?

Depois desses passos iniciais, há alguns pontos que devem ser observados para saber qual a melhor estrutura para a sua família. O primeiro é a ventilação. “Se o local não tiver ar-condicionado, basta olhar o tamanho das janelas, que precisa ser de pelo menos um sexto do tamanho da área do cômodo”, explica a engenheira civil Patrícia Maggi, que também leciona na Universidade Positivo (UP) e é diretora da área de Exatas e Tecnológicas da instituição.

Em seguida é preciso conferir a posição do imóvel no terreno escolhido e em qual direção o sol nasce no verão. “Na face norte bate sol o dia todo. Se os quartos ficarem para norte ou oeste, esses espaços ficarão ainda mais quentes. O ideal é que as áreas mais nobres da casa fiquem à leste”, esclarece a engenheira civil.

Atente também para os acabamentos da casa. “Esquadrias de madeira ou de ferro tendem a durar menos. Prefira sempre vidro, alumínio, PVC, que são menos suscetíveis à umidade e a variações de temperatura. E opte por poucos carpetes, que retêm umidade e areia. O ideal são pisos frios, como cerâmica, concreto e porcelanato”, conta Maggi.

Por último, mas não menos importante, pense no número de banheiros do imóvel como um bom critério de desempate. “Principalmente para quem tem filhos, a demanda por chuveiro é muito grande no mesmo horário, e ter mais de um banheiro ajuda”, destaca a professora da UP.

 

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O primeiro passo é considerar os hábitos da família. “Que tipo de praia você procura? Uma mais calma para descansar, como é o caso de balneários menores, ou uma mais agitada para curtir de outra forma,
como Guaratuba, Caiobá e Balneário Camboriú? Depende do perfil familiar, da quantidade de crianças ou de pessoas idosas”, frisa o vice-presidente de lançamento e comercialização imobiliária do Sindicato
da Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi-PR) Luciano Tomazini. “E também é fundamental lembrar: quanto tempo de deslocamento você está disposto a investir? O litoral paranaense tem o benefício ainda de ser o mais próximo para quem reside na Grande Curitiba.”