Ao Vivo

Quer evitar longas filas na vacinação da covid em Curitiba? Veja essas dicas

04/08/2021 às 06:16.

Se as longas filas para tomar a vacina da covid-19 em Curitiba vão se confirmar é uma incerteza, mas, quando elas realmente ocorrem, como foi o caso nesta terça-feira (03), o jeito é encarar da melhor forma possível. Mas isso não significa ter que simplesmente aguardar horas para se vacinar. À pedido da Tribuna, a Secretaria de Saúde de Curitiba (SMS) informou quais dos 21 locais de vacinação da capital costumam “bombar” e quais são os, geralmente, mais “susses”. Lembrando que a orientação da prefeitura é para que as pessoas procurem um ponto próximo de suas residências.

Claro que, de uma hora para outra, qualquer ponto de vacinação pode “bombar”. As filas no Pavilhão da Cura, no Parque Barigui, tiveram momentos em que o tempo de espera era de quatro horas nesta terça-feira. Por isso, vale a pena ficar de olho onde tem menos fila porque quanto mais distribuídos estiverem os grupos de vacinados, menor será a espera por uma dose.

De acordo com a SMS, entre os pontos de vacinação mais procurados pelas pessoas estão o Pavilhão da Cura, no Parque Barigui, o ponto da Praça Ouvidor Pardinho, no Centro, e o Centro de Esporte e Lazer Avelino Vieira, no Bacacheri. “Estes são os maiores pontos de vacinação da capital e estão sempre entre os mais procurados. Também são os mais conhecidos”, informa a secretaria.

Por eliminação, os outros 18 pontos distribuídos pelos bairros de Curitiba têm menos filas. “As Unidades de Saúde nos bairros têm situações muito pontuais de fila, geralmente são bem tranquilas”, aponta a SMS. Ainda conforme a pasta, a quantidade de pontos de vacinação contra covid-19 é avaliada constantemente.

A SMS diz que “as filas podem ocorrer em locais e horários pontuais, devido a preferência por pontos de vacinação mais centrais, há ainda diversos pontos de vacinação com volume tranquilo de público. São 21 locais de atendimento amplamente divulgados, com funcionamento das 8 horas às 17 horas”.

Na prática, até o número de doses de vacinas é calculado de acordo com o volume de pessoas que procuram os pontos. Os três maiores recebem mais doses, mas nada impede de ocorrer remanejamento durante o dia. “O planejamento e a organização são permanentes”, diz a SMS.

Portanto, o mais recomendado para evitar as filas na hora de se vacinar em Curitiba é optar pelo local mais próximo de casa. “A organização dos pontos considera isso”, informa a secretaria.

Sommelier de vacina

Outro fator que faz crescer as filas e que já foi noticiado é o comportamento de quem tenta escolher o tipo de vacina que vai tomar. Os chamados sommeliers de vacina acabam entrando e saindo das filas, depois que descobrem qual é a marca do imunizante da vez, em determinado ponto de vacinação. O comportamento é percebido em Curitiba e em outras cidades do Brasil.

Na tentativa de acabar com o problema, uma vez que o ditado atual já diz que “vacina boa é aquela aplicada no braço”, um projeto de lei que tramita em Curitiba poderá permitir que vá parar no fim da fila da vacinação contra a covid-19 o cidadão que ficar tentando escolher a marca da vacina que quer tomar. A pessoa que recusar a vacina disponível, em virtude do laboratório fabricante, pode ter que cumprir essa determinação até que todo o cronograma do Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a covid-19 seja cumprido.

Via: Tribuna do Paraná