Ao Vivo

Produtor de Adele acusado de plagiar hit de Martinho da Vila é fã da música brasileira

13/09/2021 às 10:00.

Nesta sexta-feira (10), a Revista Veja publicou uma nota mencionando o compositor Toninho Geraes, respeitado criador na cena do samba e responsável pelo hit “Mulheres“, acusou Greg Kurstin de plágio, pela música “Million years ago”, lançada por Adele em 2015.

Porém, de acordo com o EXTRA, além de admirador da cultura brasileira, o americano tem amplo conhecimento sobre nossa música, o que deixou claro recentemente, quando publicou no Twitter um registro em vídeo de “Coração vulgar”.

Vale ressaltar que ele compartilhou a faixa apenas um mês depois do advogado de Toninho Geraes, Fredímio Biasotto Trotta, enviar duas notificações extrajudiciais a Adele, à gravadora XL Recording, à Sony Music, e a Kurstin.

Além disso, no perfil de Greg Kurstin no Spotify, tem uma biografia na qual conta que se mudou para Nova York após o colegial, onde passou a estudar a música brasileira. Inclusive, Kurstin aprendeu a tocar berimbau. O texto diz que isso “influenciou grande parte do ecletismo que definiu sua carreira”.

Adele é processada por compositor de Martinho da Vila em suposto caso de plágio

Nesta sexta-feira (10), a Revista Veja publicou uma nota mencionando o compositor Toninho Geraes, respeitado criador na cena do samba e responsável pelo hit “Mulheres“, que reuniu provas e acaba de entrar com uma ação judicial contra Adele. A acusação é de plágio, Geraes afirma que a faixa, eternizada na voz de Martinho da Vila, teve trechos substanciais copiados pela cantora britânica no disco “25”, mais precisamente na música “Million Years Ago”.

(FOTO: Reprodução)

“Fiquei estarrecido quando me dei conta. A melodia e a harmonia são iguais, é uma cópia escancarada”, disse. Duas notificações extrajudiciais foram encaminhadas à Adele, ao coautor da canção, Greg Kursin, à gravadora XL Recordings/Beggars Group e ao grupo Sony Music, de acordo com a afirnação da revista. Os advogados de Geraes defendem que há 88 compassos com indício de cópia, o que somaria 3:02, cerca de 87% do tempo total de duração da faixa.

“Nossa intenção era tentar um acordo, mas diante do silêncio, recorremos à Justiça”, resposta da Sony Music que a única das partes a entrar em contato, afirmando que a questão e seus respectivos desdobramentos seguem nas mãos da gravadora britânica e da própria Adele. Lançada em 1995, “Mulheres” faz parte do disco “Tá Delícia, Tá Gostoso”. Na internet, as comparações já existiam há algum tempo. Fãs mais atentos chegaram a criar um mashup com as faixas.

Fonte: Uol