Principais erros que o trabalhador brasileiro comete pra se aposentar

20/02/2018 às 08:09.
O poeta inglês Samuel Coleridge dizia que a luz que a experiência nos dá é a de uma lanterna na popa, que ilumina apenas as ondas que deixamos para trás. Acho que não é só isso. A experiência é também uma lanterna de proa, que ilumina para a frente, para aqueles que tiverem a capacidade de aprender com seu passado, principalmente com erros e fracassos. De nada valeriam esses, se não nos ensinassem a navegar por mares menos revoltos.

Muitos me dizem que se arrependem de ter deixado seu futuro nas mãos do governo ou ao Deus dará. Dariam tudo por uma nova oportunidade de construir uma aposentadoria melhor. Se eu posso de alguma forma ajudar, resumiria em três os principais erros que comete o trabalhador brasileiro no que diz respeito à sua previdência:

Primeiro, achar que a previdência social do INSS vai manter o seu poder de compra na velhice. Ela, que já pagou 20 salários na década de 70 do século passado, hoje paga, no máximo, 5,9 salários e, em duas décadas vai pagar só 3 salários, ou R$ 2.862,00 em dinheiro de hoje. Se você imagina estar ganhando mais do que isso no fim da carreira, tem que ter um plano B de nome previdência privada.

Segundo erro, aposentar-se cedo, na primeira oportunidade, por tempo de contribuição, continuar a trabalhar e usar a aposentadoria do INSS para somar à renda do trabalho. Em mé- dia, as aposentadorias por tempo de contribuição, são concedidas aos 54 anos. Com o INSS mais o salário do trabalho, dobra de renda, troca de carro, de casa e muda para um novo padrão de vida até uns 65 anos. Aí sim, já cansado, decide parar de trabalhar, mas conclui que vai perder o salário e ter que viver só do INSS. Ou seja, com uns 35%, 40% da renda do mês anterior. Resumo, chega à conclusão que vai ter que continuar a trabalhar para manter o padrão de vida.

Por fim, o maior erro: não usar a aposentadoria do INSS, durante uns dez anos, para construir uma segunda aposentadoria privada. Lá na frente, terá 2 aposentadorias equivalentes e, aí sim, pode parar com conforto financeiro. Com relação ao primeiro erro, não há como voltar atrás. Nunca é tarde para contratar um Plano de Previdência Privada, mas quanto mais cedo você se convencer de que precisa começar a poupar, melhor serão os resultados e você poderá contribuir com menos, todos os meses, para ter uma mesma aposentadoria no futuro. O tempo será seu aliado!

Com relação aos outros dois, fica a dica. Vale a pena trabalhar um pouco mais para ter mais tranquilidade no futuro. Não há nada pior do que estar cheio de tempo e não ter dinheiro para aproveitá-lo.

Via: Tribuna do Paraná