Ao Vivo

Presidente da OAB-PE critica universitário que escreveu convite ‘sincero’ de formatura: ‘não siga a advocacia’

15/12/2017 às 08:34.

Para Ronnie Preuss Duarte, texto de Lucas Jansen é um alerta sobre os jovens que escolhem carreiras sem levar em conta a vocação profissional. ‘Senti pena do jovem bacharel’, escreveu o advogado em uma rede social.

Em uma rede social, presidente da OAB-PE criticou texto de convite à formatura de bacharel em direito que 'viralizou' nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook)

Em uma rede social, presidente da OAB-PE criticou texto de convite à formatura de bacharel em direito que ‘viralizou’ nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook)

Depois de ter viralizado nas redes sociais por conter um relato considerado sincero, o convite da formatura da graduação em direito do pernambucano Lucas Jansen, de 23 anos, gerou interpretações negativas de quem exerce a profissão. Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Pernambuco (OAB-PE), Ronnie Preuss Duarte, o relato do universitário é um alerta para quem escolhe carreiras sem levar em conta a vocação profissional e visa exclusivamente o retorno financeiro. Diante dessa percepção, o advogado afirma ter sentido pena do bacharel e aconselhou o jovem em uma rede social: “não siga a advocacia”.

No texto publicado na internet, o presidente da OAB-PE rebate as críticas do universitário a respeito das provas, trabalhos acadêmicos e da rotina de universitário, usando a própria experiência durante a graduação como exemplo. “Encarei as renúncias ao convívio social como algo inerente à responsabilidade que deve recair sobre aqueles que, missionários da Justiça, buscam uma formação técnica para defender os direitos alheios dos cidadãos”, diz na postagem.

Procurado pelo G1, Ronnie Duarte alegou entender o tom irônico do texto, mas deixa clara a decepção causada pelas palavras do bacharel. “Eu admito a possibilidade de ele ter se utilizado de alguma ironia, mas eu não posso deixar de registrar a perplexidade que isso traz, sobretudo para aquelas pessoas que desempenham a profissão e que escolheram a carreira jurídica fruto de um chamado, de uma vocação”, afirma.

Lucas Jansen não esperava que postagem de convite fosse repercutir tanto nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook)

Lucas Jansen não esperava que postagem de convite fosse repercutir tanto nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook)

Para Duarte, as horas de dedicação aos estudos, criticadas por Jansen no convite, são inerentes à profissão. “Você não consegue aprender o conteúdo necessário sem ter uma dedicação, uma renúncia. A carreira na advocacia enfrenta problemas nessa esfera que motivaram a criação do exame da Ordem, que é um filtro mínimo para evitar que profissionais malformados cheguem ao mercado de trabalho. Isso é uma salvaguarda para o cidadão que vai usufruir dos serviços”, explica.

No convite do universitário, o presidente da OAB-PE enxerga um alerta sobre os jovens que escolhem cursos superiores usando a remuneração como critério principal. “Muitas vezes, como esse universitário retrata, os jovens frequentam ambientes de que não gostam, convivem com pessoas de quem não gostam e se submetem aos estudos de disciplinas pelas quais eles não têm nenhum apreço. O propósito é a perspectiva de riqueza”, comenta o presidente da OAB-PE, a respeito da frase “não estudo para ser chamado de doutor, estudo para ser chamado de rico”, que finaliza o texto do convite à formatura do estudante.

Dedicação deve ser julgada pelo currículo, diz estudante

Procurado pelo G1, Lucas Jansen explicou, por meio de nota, que o texto foi uma brincadeira para a família e os amigos. “Se querem julgar minha dedicação e capacidade, que seja feita pela análise do meu currículo e não por um convite de formatura”, afirmou o estudante, que cursou direito em uma faculdade particular e publicidade e propaganda na Universidade Federal de Pernambuco.

Ainda de acordo com o estudante, a experiência no curso de direito foi boa, apesar da brincadeira no convite. “Lógico que tiveram os estresses comuns a qualquer universitário, mas levei com seriedade tudo que concerne à vida acadêmica”, escreveu, mencionando um intercâmbio para Coimbra em 2014, para estudar direito empresarial europeu, e para Londres, em 2017, para estudar inglês jurídico.

Segundo o formando, as experiências de estágio em tribunais trouxeram aprendizado e uma certeza em sua vida profissional. “Foi onde também percebi que a carreira jurídica, hoje, não faz meu perfil. Sou sócio em uma agência de comunicação e amo o que faço por aqui e é onde resolvi seguir”, afirmou.

O convite

Após seis anos de curso de direito, Lucas Jansen aproveitou o convite de formatura para desabafar sobre os “perrengues” da vida de universitário. Distanciando-se do texto padrão de agradecimento aos pais, professores e a Deus, o jovem utilizou um relato considerado sincero que gerou milhares de compartilhamentos em uma rede social, em que foi postado na segunda-feira (11).

No texto, o formando brincou com a expectativa e a realidade do que foi sua vida acadêmica. Lembrou como estava empolgado com o novo ambiente, novos professores e novas amizades e a decepção com o passar dos anos. Em tom sarcástico, destacou a agonia que foi aguentar a faculdade nos últimos anos de estudo.

Via: G1