Ao Vivo

Polícia prende homem que criou evento no Facebook pra propagar coronavírus

19/03/2020 às 08:46.

Um homem de 24 anos foi ouvido nesta quarta-feira (18) pela Polícia Civil do Paraná (PCPR) por criar um evento no Facebook com o objetivo de propagar o coronavírus por Curitiba. O rapaz teria marcado um encontro no Centro da cidade e sete pessoas já tinham confirmado presença. O “responsável” pelo evento foi liberado e poderá ser preso por até um ano.

Foto: Reprodução/Facebook

O grupo nas redes sociais foi criado na terça-feira (17), mas o serviço de inteligência da PCPR, juntamente com a Guarda Municipal de Curitiba, conseguiu localizar em pouco tempo o endereço do autor do post, no bairro do Umbará, na capital paranaense.

Danilo Zarlenga, delegado do 1 ° Distrito Policial acompanhou o depoimento e segundo a versão do rapaz, foi uma brincadeira que não tinha como objetivo disseminar a doença. “Ele criou o grupo para que causasse uma repercussão na internet e que não teve em nenhum momento de praticar o crime. Ele está enquadrado no artigo 268 do Código Penal que é propagar doença contagiosa. A pena de detenção de um mês a um ano, e multa”, relatou Zarlenga.

O grupo foi extinto pelo Facebook, após a rede social receber denúncia de órgãos de segurança. Por não ter ficado nem um dia aberto, poucas pessoas confirmaram presença, mas todas serão ouvidas pela Polícia Civil, na sequência. “É preciso ter consciência do atual momento que enfrentamos e de que as redes sociais servem para ajudar. Qualquer ato irresponsável ou brincadeiras serão investigados, com possíveis punições”, comentou o delegado.

Brigão do Largo da Ordem?

Ainda segundo o delegado, o rapaz ouvido nesta quarta-feira não tem relação com os incidentes que ocorreram no Largo da Ordem durante o Carnaval deste ano. Na ocasião, foram três noites com muita confusão na região, situação que provocou preocupação entre os moradores de Curitiba. “Ele não tem este perfil. É trabalhador, mas está de férias. Teve tempo para fazer esta ação”, ressaltou Danilo.

Via: Tribuna do Paraná