Pinhão também é petisco para cães e gatos, confira os benefícios

15/06/2018 às 08:30. Comente esta notícia!

Rico em amido e fibras, a semente da árvore Araucária, ou o conhecido pinhão, pode ser oferecido aos cachorros e gatos de estimação sem problemas. O alto teor de fibra presente no pinhão pode diminuir a digestão do mesmo pelo animal, disponibilizando mais material para a fermentação pelas bactérias intestinais. Se fornecido em baixas quantidades, não faz mal.

Foto: Pixabay

Cães e gatos estão liberados para o consumo da semente e não há nenhuma contraindicação clara. Apenas com relação ao preparo: cozinhar o pinhão com sal não tem problema, mas é melhor evitar, se possível. Evite ainda outros temperos, como alho e cebola, que são tóxicos aos animais.

Se o tutor tiver dúvidas da quantidade de pinhão que pode ser dada ao animal, lembre-se de tratar a semente como um petisco e jamais use-a como substituto da refeição proporcionada pela ração.

Para um cachorro ou gato até 10kg, um a dois pinhões, divididos em pequenas partes. Os tutores podem dar as partes uma de cada vez, ao longo do dia. Em excesso pode atrapalhar a evacuação, mexendo com a flora intestinal, ocasionando diarreia ou retenção das fezes.