Parques de Curitiba podem ganhar “cachorródromo”

14/08/2017 às 12:38. Comente esta notícia!

Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

 

Os donos de cães podem ganhar um espaço dedicado para seus animais de estimação nos parques e praças de Curitiba. Um projeto de lei apresentado pelo vereador Osias Moraes (PRB) quer criar “cachorródromos” para que os cães tenham uma área para ficarem soltos nesses locais. E, depois de várias tentativas de emplacar o projeto, agora o vereador encaminhou uma versão simplificada da proposta e deixa a regulamentação da lei nas mãos da própria prefeitura.

Segundo Moraes, a ideia surgiu exatamente de sua visita aos parques da cidade, onde ele se acostumou a ver cães correndo entre os demais frequentadores. “Algumas pessoas têm medo ou simplesmente não gostam de cachorros. Então apresentamos uma lei que dá espaço para o animal e protege as pessoas”, explica o vereador, destacando que o modelo já é adotado em outras capitais, como São Paulo, Fortaleza e Porto Alegre.

Segurança

Além disso, ele aponta que a criação desses cachorródromos também garantiria mais segurança aos cães, já que diminui as chances de eles serem atropelados ou se envolverem em outros acidentes. “Assim, você organiza o parque. Se o cachorro está solto, ele pode incomodar. Então, com o espaço próprio, você sabe onde pode ir para soltá-lo”, explica o parlamentar.

Nas primeiras versões do projeto, o vereador definia o tamanho desses espaços e o que mais deveria ser implementado nos locais. No entanto, no novo texto, todas essas questões passam a ser determinadas pela administração municipal. “Mudamos algumas coisas a partir de recomendação do Projuris, que apontou elementos que não eram competência da Câmara, mas do Executivo. Eram pequenas coisas técnicas, mas que tiveram de ser adequadas”, explica.

Ainda assim, Moraes apresenta algumas sugestões do que pode ser oferecido dentro desses cachorródromos. Segundo ele, a ideia original era que esses espaços tivesses brinquedos para os animais, além de caixa de areia, lixo para o descarte de dejetos e bancos para os tutores. Porém, com a mudança, o único pedido apresentado no projeto é que essa área seja cercada.

E, exatamente por isso, o parlamentar acredita que o custo de implantação do espaço será baixo. “Não temos uma previsão, porque o valor varia de acordo com o tamanho definido. Mas o custo é apenas para a instalação das grades. Além disso, ele sugere uma parceria com pet shops e lojas do ramo para ajudar a manter os cachorródromos. “Isso não está no projeto atual, então vai depender da prefeitura”, diz.

Fonte: Gazeta do Povo