Ao Vivo

Paraná diminui distância mínima e aumenta número alunos por sala de aula

12/08/2021 às 06:31.

A distância mínima entre os estudantes dentro das salas de aula do Paraná mudou. A medida, regulamentada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e publicada pelo governo do Estado na terça-feira (10), permite que escolas estaduais, municipais e também da rede particular de ensino, diminuam de 1,5 metro para 1 metro o distanciamento mínimo obrigatório entre os alunos, como forma de prevenir o contágio com coronavírus. Com a mudança, as escolas dos municípios paranaenses, do ensino básico ao superior, podem colocar mais estudantes em cada sala para as aulas presenciais.

A alteração, segundo o governo estadual, leva em conta o avanço da vacinação contra a covid-19 e a redução dos casos da doença nos municípios. A medida também atende a um pedido feito pelo Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Paraná (Sinep), que encaminhou à Secretaria Estadual de Saúde uma solicitação para realizar a redução no distanciamento social. O pedido foi atendido pelo governador Ratinho Junior (PSD), que falou sobre a decisão.

“Com a diminuição do número de pessoas infectadas por covid, número de internações, isso tem dado uma segurança maior para a Secretaria de Saúde junto com a Secretaria Educação de poder ampliar o número de alunos dentro da sala de aula. Sempre, obviamente com muito cuidado, com toda essa cautela que é necessária mesmo tendo a vacinação, mas que ainda a pandemia não acabou, até que as pessoas, em sua grande maioria sejam vacinadas. Mas é um avanço também porque o professor tem sofrido no dia a dia de dar aula para aluno presencial e mais aula híbrida. Então, o desgaste na dinâmica da aula é muito grande”, explicou Ratinho, ao Bom Dia Paraná, da RPC, nesta quarta-feira (11).

Já em vigor, no entanto, a adoção do novo distanciamento fica a critério dos municípios e das escolas e também será avaliada periodicamente pela Secretaria Estadual de Educação (Seed). “Como tudo em relação à pandemia, vamos avaliando diariamente os indicadores para tomar qualquer tipo de outra decisão”, acrescenta o governador. Em cidades como Curitiba, a volta de cada estudante para as aulas presenciais é definida por sua família, que comunica sua opção à Secretaria Municipal de Educação, por meio de questionários on-line.

Outras medidas não mudam

Apesar da diminuição do distânciamento mínimo entre os alunos em meio metro, outras medidas sanitárias instituídas para prevenir a covid-19 nas escolas do Paraná seguem valendo. No fim de julho, no retorno de um milhão de estudantes às salas de aulas no estado, a Secretaria Estadual de Educação confirmou que a proteção contra a doença precisaria ser prioridade.

Entre os protocolos sanitários que ainda devem ser seguidos, as escolas precisam disponibilizar recursos e insumos para higiene de mãos, como água corrente, sabonete líquido, papel toalha e/ou álcool gel 70%, posicionados em locais estratégicos e de fácil acesso, principalmente pontos com maior circulação de pessoas, como: salas de aula, salas de apoio, laboratórios, portas de acesso principal, corredores, entre outros. A higiene de mãos deve ser realizada com água e sabonete líquido por pelo menos 20 segundos ou uso de álcool a 70%. Além disso, o uso de máscara segue obrigatório.

Via: Tribuna do Paraná