Pai morre após se emocionar com conquista inédita da filha em Mundial

22/10/2018 às 10:05.

A alegria de Cátia de Oliveira ao conquistar neste sábado (20) a medalha de prata no Mundial Paralímpico de tênis de mesa se transformou em tristeza poucas horas depois.

A paulista de 27 anos recebeu a notícia de que o pai Flávio Alves falecera vítima de uma parada cardíaca após saber da classificação da filha à final da Classe 2 para cadeirantes com mobilidade restrita. A competição foi disputada em Celje, na Eslovênia.

Foto: Cômite Paralímpico Brasileiro / Divulgação

Antes do pódio de premiação, todos os atletas do Mundial fizeram um minuto de silêncio. Mesmo abalada com a perda do pai, Cátia subiu ao pódio para homenageá-lo.

Ele era um dos seus maiores incentivadores na prática do esporte e tinha por hábito colocar as medalhas no peito a cada feito da mesatenista, como forma de demonstrar o seu orgulho pela superação da filha, que é cadeirante.

A vaga de Cátia à final inédita na história do tênis de mesa paraolímpico brasileiro ocorreu na noite de sexta-feira (19). Ela bateu a italiana Giada Rossi na semifinal, número 2 do mundo – nas quartas já havia eliminado a russa Nadejda Pushpasheva, número 3.

Ao saber da classificação da filha, Flávio Alves passou mal e precisou ser internado num hospital de Cerqueira César (SP). Ele acabou não resistindo e faleceu neste sábado aos 47 anos.

Na decisão, a brasileira acabou superada por 3 a 0 pela sul-coreana Su Yeon Seo, número 1 do ranking e prata nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. As duas já havia se enfrentado na primeira partida da fase de grupos, com vitória também da rival por 3 a 1.

O Ministério do Esporte emitiu uma nota oficial lamentando o falecimento do pai de Cátia Oliveira:

À Cátia, que está na Eslovênia, aos demais familiares e amigos de Flávio e aos amantes do esporte paralímpico, meus profundos sentimentos.