Pai de Corinthienzo diz que se fosse menina “Seria Corinthievellyn ou Corinthielly”

17/02/2019 às 16:39.

O pai do bebê Corinthienzo, Leandro Soares, foi pego de surpresa com a repercussão que ganhou o nome de seu primogênito. O rapaz de 26 anos, que trabalha em uma loja de salgados congelados e mora em Santo Amaro, diz não ter batizado o menino para ganhar fama, mas sim ficar conhecido entre os torcedores e homenagear o time do coração.

As opções para uma menina também estavam em um patamar, digamos, parecido. “Seria Corinthievellyn ou Corinthielly“, entrega ele que, apesar da seleção, não pensa em aumentar a prole. O menino Corinthienzo é chamado pelos familiares por vezes de Enzo, por vezes de Samuel – que tem inspiração bíblica. “Mas eu não gosto, brigo quando chamam assim“, diz o pai.

A família do pai torcedor fanático é evangélica, e foi resistente à escolha do nome do bebê, inicialmente cotado para Corinthienzo Corinthians, mas a caminho do cartório o rapaz reconsiderou, pensando na mulher. No final ficou: Corinthienzo Samuel de Jesus Soares.

O menino de 3 meses, inclusive, ainda vive uma simbólica restrição: não usa roupinhas na cor verde, por ser uma alusão ao time rival Palmeiras. Rosa é outra cor que está vetada nas vestimentas do pequeno.

 

Posted by Leandro Soares on Wednesday, February 13, 2019

 

Natural do Rio de Janeiro, Leandro é filho de pai flamenguista, mas se apaixonou pelo Timão ainda criança, quando mudou-se para São Paulo. “Morava em uma casa com acesso a um bar que ficava cheio de corintianos, comecei a torcer em uma final de campeonato que o time perdeu, não me lembro quando“, explica. Há cerca de quatro anos, faz parte de uma torcida organizada do Embu.

Na hora de registrar a criança, ele disse ter enfrentado resistência. “A atendente era palmeirense“, divertiu-se. “Eu disse que se não fosse esse nome, eu nem registrava. Iria procurar outro cartório, nem que fosse no interior.

 

Leia a matéria completa: Veja SP.