O que fazer quando cães e gatos soltam pelos demais?

14/06/2018 às 10:03. Comente esta notícia!

Foto: Pixabay

É comum que donos de gatos compartilhem da mesma queixa: o excesso de pelos que os felinos soltam pela casa. No caso de pessoas alérgicas na residência, isso pode causar alguns transtornos. Pensando nisso, Paula Cordovani, veterinária da Animal Place, rede especializada em cuidados para pets, explica formas para reduzir o problema.

De acordo com a veterinária, em muitos casos, a queda de pelos pode significar apenas a troca de pelagem. Entretanto, muitas pessoas acreditam que o excesso desta perda esteja relacionado a alguma patologia do pet, mas a especialista esclarece que esses casos são raros e normalmente apresentam em conjunto outros sintomas. “Se eles não apresentarem falhas, coceira ou lesões de pele provavelmente não se trata de doença”, explica Cordovani.

Ao contrário do que se pensa, a queda de pelos dos felinos não está associada a falta de banho, mas sim de escovação. A especialista lembra que gatos não precisam de banhos periódicos, já que se limpam sozinhos. “Para minimizar o desconforto no ambiente, o ideal é escovar periodicamente a pelagem para remover os pelos que já caíram. Além disso, uma alimentação saudável e uso de vitaminas próprias para fortalecer o pelo, ajudam a resolver este problema”, relata. A especialista ainda ressalta a importância do acompanhamento veterinário. “Em casos de dúvidas ou anormalidade o especialista deve ser acionado imediatamente”, concluí.

Inverno e verão

Os períodos de troca de estação são os mais propensos à queda, já que existe uma tendência natural de mudança de pelagem. Na chegada do verão, os animais perdem os pelos secundários, que são os mais finos e fofos e dão o aspecto de pluma e aquecem. Na chegada do inverno, é normal que se percam os pelos mais grossos, chamados de primários. Isso os ajuda a enfrentar as estações de forma mais adequada.

“Claro que este processo é bem mais visível nos locais em que as estações são bem definidas. Por aqui, no Brasil, onde temos uma variação menor, o animal acaba perdendo pelo durante todo o ano”, explica o médico veterinário Marconi Rodrigues de Farias, chefe do Serviço de Dermatologia e Alergia da Unidade Hospitalar para Animais de Companhia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

As fêmeas também são mais suscetíveis a ter quedas acentuadas por condição hormonal, nos períodos de cio, gravidez, pós-parto e amamentação.

Quando a queda é um problema

Os tutores precisam ter atenção para diferenciar a queda que é do processo natural de renovação para a que indica possíveis doenças. Queda acentuada pode ser um alerta pata doenças como infecções de pele, alergias, problemas renais e hepático, hormonais, estresse e até mesmo câncer.

Portanto, é necessário procurar um profissional quando existe:

• Queda maior que o normal;
• Alterações na pele, como vermelhidão, edemas, manchas ou feridas;
• Falhas no pelo ou alteração da sua textura e cor;
• Lambidas constantes em locais específicos;
• Coceira além do usual.