Novos biarticulados terão câmeras de segurança

21/02/2018 às 07:59.

A frota de novos biarticulados de Curitiba, que começa a circular em março, deve chegar às ruas já com câmeras de segurança. O equipamento é obrigatório por lei, mas está ausente dos veículos da cidade.

Novos veículos já virão com câmeras. Foto: Gerson Klaina.

Novos veículos já virão com câmeras. Foto: Gerson Klaina.

A frota de 25 novos biarticulados de Curitiba, que começa a circular no fim de março, deve chegar às ruas já com câmeras de segurança, de acordo com a Urbs. Obrigatório por lei, mas até então ausente dos veículos da cidade, o equipamento é considerado fundamental para combater a violência no transporte, segundo o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc). O item deve ajudar a frear a quantidade de arrastões e assaltos nos ônibus, que só em 2018 já soma dez casos na capital e Região Metropolitana.

Mesmo com a urgência, é apenas dessa maneira – gradual, conforme os veículos forem sendo renovados – que a Urbs promete incluir o equipamento em todos os ônibus da cidade. Segundo a prefeitura, serão 450 veículos novos até 2020, o que já inclui os biarticulados de março. Até lá, o dispositivo segue integrando um ou outro ônibus antigo em formato de teste. Esses testes são usados para definir qual a melhor resolução de imagem, posicionamento dos equipamentos, entre outros detalhes técnicos.

Nos biarticulados novos, que farão a linha Santa Cândida/Capão Raso, a posição das câmeras já está definida. Serão oito máquinas espalhadas por todo o veículo – sete para a parte interna e uma voltada para a parte externa. A Urbs ainda não divulgou quem terá acesso às gravações das imagens, ou se a Polícia Militar e a Guarda Municipal poderá visualizá-las em tempo real, por exemplo.

Apesar da Urbs afirmar que a inserção das câmeras deve acontecer conforme a chegada de novos carros, 10 ônibus que começaram a rodar em dezembro de 2017 não vieram com o dispositivo. O presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, disse que isso deve ao fato dos ônibus terem adquiridos em junho do ano passado pela empresa Expresso Azul, do Consórcio Transbus, com a intenção de colocá-los para circular na Região Metropolitana. Mas, após avaliação e homologação da Urbs, percebeu-se que os carros cumpriam requisitos para circular na capital – mesmo sem as câmeras.

Lei municipal

Com a instalação determinada pela lei municipal 13.885/2011, o uso das câmeras foi definido como principal ação para conter a onda de roubos e arrastões nos ônibus em reunião da Urbs e a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), que administra as linhas intermunicipais, com o então secretário estadual de Segurança Pública, Wagner Mesquita, em setembro de 2017.

Já na avaliação do Sindimoc, as câmeras seriam fundamentais na resolução mais rápida dos crimes e mesmo para inibir a ação dos ladrões.

Violência que perdura

O problema da violência nos ônibus da capital e suas redondezas já vem de muito antes dos dez casos deste ano. Desde 2017, a questão têm atingido proporções grande demais, resultando em três mortes. em setembro, um cobrador de 25 anos da linha Gramados foi alvejado por dois tiros no bairro Capão Raso, em Curitiba. No mesmo mês, uma passageira de 24 anos morreu em um tiroteio entre ladrões e um policial militar da reserva durante um arrastão na linha Curitiba/Campo Magro, na Região Metropolitana.

O terceiro caso é do último dia 8 de fevereiro, quando um passageiro morreu após ser atingido por um tiro na cabeça. O homem tentava ajudar outra passageira que foi agredida por ladrões na linha Rural, na Linha Verde.

Por causa dos casos recentes, a Guarda Municipal e a Polícia Militar fizeram, na última sexta-feira (16), algumas batidas em linhas da região de Santa Felicidade. Ações similares também foram executadas em alguns momentos no ano passado.

Lista de arrastões registrados em 2018, segundo o Sindimoc:

18/01 – Tubo Jardim das Américas, às 22h40

20/01 – Linha Solitude, às 21h, próximo a fábrica da Coca-Cola

20/01 – Linha Bairro Novo A e B

01/02 – Linha Petropolis/Ouro Verde, às 22h, na Avenida Prefeito Omar Sabbag, em frente ao Jardim Botânico

02/02 – Linha Fazenda Rio Grande/CIC, na Avenida Juscelino Kubitschek de Oliveira, Cidade Industrial de Curitiba (CIC)

08/02 – Pompeia/Rurbana, às 20h50, perto da Central de Abastecimento do Paraná (Ceasa)

11/02 – Linha Curitiba/Piraquara, às 7h30, na Rodovia João Leopoldo Jacomel

14/02 – Linha Bairro Novo A, às 6h30

14/02 – Linha Alimentador Pinheirinho, às 9h30

14/02 – Linha Campo Grande, às 19h30

Via: Tribuna do Paraná