Novo protesto vai deixar Curitiba sem ônibus por 2 horas nesta segunda

11/09/2017 às 09:21.

Paralisação de motoristas e cobradores vai afetar todas as linhas da cidade nesta segunda-feira (11) e interromper o transporte de manhã e à tarde

 | Daniel Caron/Gazeta do Povo

Daniel Caron/Gazeta do Povo

A semana vai começar com muita dor de cabeça para quem depende do transporte público em Curitiba. Dando sequência à agenda de paralisações proposta pelo sindicato de motoristas e cobradores (Sindimoc) em protesto contra a violência dentro dos ônibus na cidade, mais linhas vão parar nesta segunda-feira (11): a primeira paralisação será às 9 horas, e a segunda, às 15 horas. No entanto, ao contrário das mobilizações da semana passada, o retorno dos atos vai afetar muito mais pessoas e por mais tempo.

Isso porque, de acordo com o cronograma divulgado pelo Sindimoc, a paralisação desta segunda vai se estender a todas as linhas da cidade, e não apenas àquelas que passam pela região central, como ocorreu na terça (5) e quarta-feira (6) passada.

Além disso, o protesto acontecerá em dois momentos do dia: o primeiro será às 9h e o segundo às 15. Ambos devem durar cerca de 1 hora.

As paralisações foram anunciadas no último dia 4 de setembro como uma forma de pressionar as empresas responsáveis pelo transporte público na capital a instalarem câmeras de segurança dentro dos coletivos. Essa é a principal exigência da categoria, principalmente após os recentes episódios de ataques a motoristas e cobradores, além de dos próprios passageiros.

Nos dois primeiros atos, realizados na região central nos dias 5 e 6 de setembro, 85 linhas pararam de circular durante uma hora e complicaram o trânsito no entorno das praças Rui Barbosa, Tiradentes, Osório e Carlos Gomes. Embora a paralisação tenha durado pouco tempo, foi o suficiente para formar filas e complicar a vida dos passageiros. Na quarta-feira, por exemplo, muitos usuários se revoltaram e invadiram uma estação-tubo, fazendo com que a cobradora fugisse assustada e aos prantos.

De acordo com o Sindimoc, os protestos devem ocorrer sistematicamente até o próximo dia 19, sempre afetando uma região específica da cidade — apenas nesta segunda-feira é que a paralisação será geral. No dia 20, a categoria planeja realizar um ato que também vai interromper a circulação de ônibus em toda a Curitiba e por mais tempo.

Intervenção judicial

Na última quarta-feira (06), o Tribunal Regional do Trabalho divulgou um interdito proibitório contra o Sindimoc impedindo que o sindicato faça bloqueios que impeçam os trabalhadores de entrarem ou saírem das garagens. No documento, a juíza Ana Gledis Tissot Benatti reconhece a legitimidade das paralisações, mas destaca que os atos devem ser realizados dentro dos “limites legalmente estabelecidos”. Caso motoristas e cobradores sejam impedidos de trabalhar para reforçar o protesto, o sindicato terá de pagar multa de R$ 500.

Em nota, o Sindimoc afirmou que não está barrando a saída de veículos e nem forçando a participação de trabalhadores.

Cronograma de paralisações

11/09 (Segunda-feira)

9h – Paralisação de 1 hora GERAL

15h – Paralisação de 1 hora GERAL

12/09 (Terça-feira)

9h – Paralisação de 1 hora nos Terminais: Pinheirinho, CIC, Sítio Cercado, Boqueirão, Carmo, Hauer, Capão Raso e Portão

13/09 (Quarta-feira)

15h – Paralisação de 1 hora nos Terminais: Campo Comprido, Campina do Siqueira, Santa Felicidade, Caiua e Fazendinha

14/09 (Quinta-feira)

9h – Paralisação de 1 hora nos Terminais: Campo Comprido, Campina do Siqueira, Santa Felicidade, Caiua e Fazendinha

15/09 (Sexta-feira)

15h – Paralisação de 1 hora nos Terminais: Pinheirinho, CIC, Sítio Cercado, Boqueirão, Carmo, Hauer, Capão Raso e Portão

18/09 (Segunda-feira)

9h – Paralisação de 1 hora nos Terminais: Santa Cândida, Boa Vista, Cabral, Barreirinha, Bairro Alto, Capão da Imbuia, Centenário e Oficinas

19/09 (Terça-feira)

15h – Paralisação de 1 hora nos Terminais: Santa Cândida, Boa Vista, Cabral, Barreirinha, Bairro Alto, Capão da Imbuia, Centenário e Oficinas

20/09 (Quarta-feira)

15h – Ato na Praça Rui Barbosa e passeata

Via: Gazeta Do Povo