Novo ligeirão Norte-Sul estreia em 20 dias. Saiba como vai funcionar

09/03/2018 às 08:09.

O novo sistema de transporte de Curitiba estreia um dia antes do aniversário da cidade. Sistema terá 8 paradas e vai do Terminal do Santa Cândida até a Praça do Japão.

Novo Ligeirão terá 8 estações-tubo entre o terminal Santa Cândida e a Praça do Japão. Foto: Marcelo Andrade.

Novo Ligeirão terá 8 estações-tubo entre o terminal Santa Cândida e a Praça do Japão. Foto: Marcelo Andrade.

A nova linha do Ligeirão Norte-Sul, que vai começar a operar no dia 28 de março, terá oito paradas entre o terminal do Santa Cândida e a Praça do Japão. É a metade do total de pontos atendidos pelos biarticulados que atualmente fazem o mesmo percurso, seguindo adiante até o terminal do Capão Raso.

Segundo a prefeitura, os pontos serão, além do terminal Santa Cândida e o tubo final, a estação Bento Viana, os terminais Boa Vista e Cabral e as estações Passeio Público, Central (Praça Santos Andrade), Eufrásio Correia e Oswaldo Cruz. Pelos cálculos da prefeitura, a parada em menos estações encurtará o trajeto entre o Santa Cândida e a Praça do Japão em 20 minutos.

Capaz de atender cerca de 36 mil passageiros por dia, a nova linha exigiu adaptações na região do seu ponto final no Batel. O assunto foi parar na Justiça depois que o Ministério Público pediu a suspensão das obras, alegando falta de transparência no processo. Segundo a promotora Aline Bilek Bahr, o município violou os princípios da gestão democrática ao não possibilitar espaços de participação popular para que os moradores da região e outros moradores de Curitiba pudessem opinar sobre o processo.

Treta

E realmente a falta de discussão gerou revolta. Moradores que criticaram a falta de diálogo se manifestaram contra as obras que alteraram os limites da Praça do Japão. Houve manifestação e até mesmo bate-boca com o prefeito Rafael Greca (PMN), que, mais tarde, chegou a falar que a oposição às obras era coisa “ de madame”.

Ao fim, a Justiça acabou negando o pedido de paralisação por entender que a paralisação dos trabalhos poderia ocasionar prejuízos ao projeto, à população e aos cofres públicos, já que cerca de R$ 16 milhões já foram investidos nesta primeira etapa, em que o ligeirão fará um percurso de 11 km.

Mas, conforme a prefeitura, a alteração na praça do Japão servirá apenas até a conclusão da segunda etapa do projeto – quando a linha chegar até o terminal do Capão Raso. Quando esta extensão for concluída, ainda sem previsão, os ônibus seguirão aos terminais do Portão, Capão Raso e Pinheirinho sem precisar contornar a praça.

Para a execução da segunda etapa, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano (Ippuc) conseguiu aprovar com a Caixa Econômica Federal cinco projetos, no total de R$ 15 milhões, para as obras de ultrapassagem nas estações Silva Jardim, Dom Pedro I, Morretes, Carlos Dietzsch (Igreja do Portão) e Itajubá.

Segundo a prefeitura, a licitação das obras começará tão logo os recursos forem liberados.

Ligeirão na Praça do Japão

Para retornar com destino ao Terminal Santa Cândida, o novo Ligeirão contornará a Praça do Japão vazio e com velocidade reduzida, pelo sistema viário existente do entorno. Para isso, estão sendo executadas correções geométricas no entorno da praça e feitos acessos.

foto: Daniel Castellano/Prefeitura de Curitiba

Ligeirão Norte-Sul

Ponto final

A Estação Bento Viana será o ponto final para o desembarque e embarque dos passageiros do Ligeirão Norte-Sul. Dimensionada para atender à demanda, ela tem 20 módulos e 53,9 m², enquanto uma estação convencional tem 18,9 m².

  • 1ª fase
  • 2ª fase – aguardando obras na Praça do Japão

Fonte: Redação. Infografia: Gazeta do Povo.

Via: Tribuna do Paraná