Nova técnica de bariátrica chega a Curitiba e dá alta do hospital no mesmo dia

26/06/2017 às 08:13.

Nova técnica bariátrica não faz corte ou incisões e paciente vai embora no mesmo dia (Foto: Bigstock)Nova técnica bariátrica não faz corte ou incisões e paciente vai embora no mesmo dia (Foto: Bigstock)

Uma nova técnica de bariátrica chega a Curitiba em julho e promete a perda de 20% a 25% do peso, sem cortes ou incisões, recuperação em três dias e alta do hospital no mesmo dia. Não se trata de uma cirurgia bariátrica, e nem de uma substituta, embora a Gastroplastia Endoscópica seja uma opção a quem não quer correr os riscos de uma cirurgia invasiva ou deseja perder pouco peso.

O procedimento, feito por meio de um endoscópio com uma agulha, é inserido pela boca e faz uma “costura” em três pontos da parede do estômago, formando uma espécie de tubo gástrico, que reduz o tamanho do órgão. Isso leva a perda de cerca de 20 a 25 kg – valor que representa metade do peso reduzido através de uma cirurgia bariátrica tradicional.

“Trata-se de um procedimento firmado no mercado mundial para pacientes com índices de massa corporal (IMC) entre 28 a 35 ou pacientes mais obesos que não têm condições ou não podem fazer a cirurgia. Mas não é uma cirurgia bariátrica, tanto que os resultados não são tão acentuados”, explica João Caetano Marchesini, cirurgião bariátrico do hospital Marcelino Champagnat, que ao lado do cirurgião bariátrico João Antônio Schemberk realizarão o primeiro procedimento no Paraná, em julho.

Como não há incisões e nem cortes, a recuperação também é rápida. O paciente sai do hospital no mesmo dia, se estiver se sentindo bem, e volta ao trabalho em até três dias. Em relação à bariátrica tradicional, a pessoa fica, pelo menos, 10 dias em casa. “Todo e qualquer tipo de exercício físico, seja qual for o procedimento usado, é recomendável que se espere passar o primeiro mês. Esse período é a fase de adaptação à nova rotina e alimentação”, explica o cirurgião bariátrico. Por ser um procedimento novo, o médico faz o acompanhamento clínico por cinco anos.

Técnica não exige suplementação de vitaminas

Na cirurgia bariátrica, a redução do estômago impacta na absorção de nutrientes e, geralmente, os pacientes precisam suplementar algumas vitaminas e minerais. No caso dessa nova técnica, a expectativa é que esse reforço nutricional não seja necessário, de acordo com informações do cirurgião bariátrico João Marchesini.

Há, também, um grupo de pessoas que não podem passar pelo procedimento, como quem já passou por outras cirurgias no estômago ou em órgãos próximos a ele, pacientes com distúrbio de coagulação, hérnias de hiato grandes, varizes gástricas ou de esôfago e insuficiência hepática. Por enquanto, a técnica não está liberada a convênios de saúde e pode demorar até ser incluída no rol de procedimentos do Serviço Único de Saúde (SUS).

Compare os procedimentos

A Gastroplastia endoscópica, assim como o Balão intragástrico, são procedimentos considerados não cirúrgicos, ao contrário da cirurgia bariátrica. Veja outras diferenças, de acordo com informações do hospital Marcelino Champagnat.

IMC – A Gastroplastia endoscópica exige IMC entre 28 a 35, ou pessoas acima que não tenham a indicação para a cirurgia. No caso do Balão, o IMC pode ser menor, entre 28 a 40. Na cirurgia vale apenas pessoas com IMC acima de 35, com doenças associadas à obesidade, ou acima de 40.

Internamento – Na Gastroplastia, a liberação é feita no mesmo dia do procedimento e a recuperação leva três dias. O Balão intragástrico não é feito internamento do paciente e a recuperação demora dois dias, enquanto que na cirurgia é importante ficar no hospital por dois dias e 15 dias em casa para se recuperar.

Perda de peso – Enquanto a Gastroplastia e o Balão diminuem até 20% do peso, a cirurgia corta de 30% a 40% o peso do paciente.

Cobertura – A Gastroplastia e o Balão são feitas apenas no particular. A cirurgia bariátrica recebe a cobertura de planos de saúde e do SUS.

Via: Gazeta Do Povo