Ao Vivo

Netflix testa ferramenta para reduzir o compartilhamento de senhas

15/03/2021 às 08:28.

Quem nunca pegou ou compartilhou senha da Netflix que atire a primeira pedra! Um dos grandes problemas da plataforma atualmente é justamente essa troca de contas que acontece entre os usuários.

Apesar de até o momento a Netflix parecesse não estar se importando muito com isso, fazendo inclusive brincadeiras sobre o assunto nas redes sociais, ela agora está buscando um meio de bloquear o compartilhamento de senhas.

A companhia começou a testar esta semana um novo recurso para limitar o acesso externo a assinaturas, usando um sistema de verificação com janela de tempo. O teste foi visto primeiro pela GammaWire e confirmado por um porta-voz ao The Verge, que declarou que “O teste é feito para ajudar a garantir que as pessoas usando contas da Netflix estejam autorizadas a tal“.

O compartilhamento de senha é algo com o qual você precisa aprender a conviver“, disse Hastings, co-CEO da Netflix. “Há tanto compartilhamento de senha legítima, como você compartilha com seu cônjuge, com seus filhos, então não há nenhuma linha clara, e estamos indo bem como estamos“.

O recurso funciona de maneira bem simples: se a plataforma detectar que o usuário não é dono da conta, ela vai pedir uma confirmação por código no e-mail ou SMS do titular, caso a verificação não seja concluída com sucesso o acesso será bloqueado após um tempo e o “intruso” será direcionado para criar uma nova conta.

De acordo com a Netflix, o teste não está sendo feito em nenhuma região específica ou possui um tempo determinado. Além disso, eles estão justificando os testes como uma maneira de fortalecer a segurança da plataforma contra senhas obtidas de maneira ilegal.

Apesar deles deixarem claro que o compartilhamento de senhas não é algo que eles estejam desesperados para corrigir, sabemos que este é um problema que mais cedo ou mais tarde eles precisariam lidar. De acordo com um estudo do Parks Associates, a prática junto da pirataria acarreta numa perda anual de até 9 bilhões de dólares no mercado.

A princípio ninguém está sendo punido pela prática, mas este é o primeiro passo da empresa para acabar com o costume.

Fonte/Créditos: B9.

Via: Publicitário Criativos