‘Não quero que se transforme no Che Guevara brasileiro’, diz viúva de Marielle sobre roupas estampadas na SPFW

30/04/2019 às 10:10. Comente esta notícia!

Entre os itens expostos na coleção do estilista Ronaldo Fraga, no último sábado, na São Paulo Fashion Week (SPFW), chamaram atenção camisas e sapatos — entre outras peças — com o rosto deMarielle Franco, vereadora do PSOL assassinada em março de 2018 junto com o motorista Anderson Gomes, numa emboscada no Estácio, região central da cidade. Para a viúva da Marielle, Mônica Benício, faltou empatia ao artista, o que ela define como um desrespeito à família. Ela diz temer que a figura de sua companheira se torne algo comercial como aconteceu com Che Guevara.

— Fiquei sabendo do desfile através das redes sociais. Muitas pessoas vieram me mostrar o conteúdo do desfile com caráter de denúncia, perguntando se eu sabia daquilo e o que eu achava. Acho que o evento Fashion Week em São Paulo com a potência que tem no mundo da arte e da moda sem dúvida tem uma grande contribuição social quando tenta trazer uma pauta como o racismo. Mas eu acho que temos que ter sensibilidade com assuntos que a gente aborda. Uma das minhas preocupações hoje com a imagem de Marielle é para que ela não seja consumida pelo capitalismo e acabe se transformando no Che Guevara brasileiro. Acho que o estilista poderia ter se manifestado de muitas outras maneiras, inclusive, pedindo justiça para Marielle — disse Mônica.

LEIA MAIS EM JORNAL EXTRA