Mulheres processam Google por discriminação sexual

15/09/2017 às 12:03.
Resultado de imagem para google building

(Foto: Reprodução)

Três mulheres acusam o Google dos Estados Unidos de discrminação sexual por supostamente não promover igualdade de gênero dentro da empresa. Em um processo aberto na Suprema Corte de São Francisco, elas dizem que a empresa de tecnologia dá salários maiores aos homens e coloca suas funcionárias em cargos mais baixos, além de promovê-las mais lentamente.

Kelly Ellis, Holly Pease e Kelli Wisuri dizem nos documentos que o Google sabia dos problemas há muito tempo e não teria feito para para solucioná-lo. “Está na hora de prar de ignorar essas questões no [mercado] da tecnologia, declarou Kelly Ellis.

Procurado por Marie Claire, o Google afirmou que “trabalha muito duro para criar um ambiente de trabalho para todos e para dar a todos uma chance de prosperar na empresa”. Por meio de sua Corporate Comunication, Gina Scigliano, a empresa garantiu ter sistemas extensivos para pagar a todos de maneira igual”.

 

LEIA O COMUNICADO NA ÍNTEGRA

“Trabalhamos muito para criar um ótimo local de trabalho para todos, e dar a todos a chance de prosperar na empresa. Em relação a este processo específico, vamos analisá-lo em detalhes, mas não concordamos com as alegações centrais. Os níveis de trabalho e as promoções são determinados por meio de comitês rigorosos de contratação e promoção, e devem passar por vários níveis de revisão, incluindo checagens para garantir que não haja qualquer viés de gênero nessas decisões. E temos sistemas extensivos para garantir que paguemos a todos de forma justa. Mas em todos questões, se vemos discrepâncias ou problemas individuais, trabalhamos para corrigi-los, porque o Google sempre procurou ser um ótimo empregador, para cada um de nossos funcionários.”

Fonte: Marie Claire