Mulher que matou aposentada postou um vídeo há 6 meses pedindo respeito a idosos: ‘Tenham paciência’

27/02/2019 às 08:20.

A motorista Pamela Ortiz de Carvalho, de 36 anos, que confessou ter batido a cabeça de uma aposentada de 79 anos no meio-fio até a morte no último sábado (23) por ter feito dívidas no cartão dela, em Campo Grande, postou há 6 meses em suas redes sociais um vídeo pedindo respeito a idosos.

Mulher que matou aposentada em MS pede respeito a idosos em vídeo — Foto: Redes sociais/Reprodução

Mulher que matou aposentada em MS pede respeito a idosos em vídeo — Foto: Redes sociais/Reprodução

Quase ao final do vídeo, aos 5 minutos, a motorista fala: “Pense um pouquinho. Trate com respeito idosos, cadeirantes e mãe com crianças …porque assim, gente, tem que ser educado. Gentileza só agrada e você só tem a ganhar com isso. Tenham paciência”. A gravação foi postada no perfil de Pâmela no Facebook em agosto.

O advogado de defesa de Pâmela, Edmar Soares, disse ao G1 que ainda não conversou com a cliente: “Fui contratado pela manhã, entrei no caso agora. Vou conversar com ela, ter acesso aos autos para depois traçar um linha de defesa”, declara.

A motorista chegou a tentar despistar a investigação, indo até a delegacia para pedir informações sobre o paradeiro da vítima. No entanto, os policiais possuíam depoimentos de vizinhos e provas de que a última pessoa vista com a idosa, era a suspeita. Questionada, ela confessou o crime. A audiência de custódia ocorreu nesta terça-feira (26) e a motorista teve a prisão convertida em preventiva.

Pâmela possui extensa ficha criminal, com passagens por furto, duas passagens por ameaça e cinco por estelionato.

Contradições

Segundo a polícia, a mulher mudou sua versão algumas vezes, especialmente sobre o tempo em que conhecia a vítima. “A autora fala que elas se conheciam desde julho do ano passado, no entanto, a vítima morava em uma quitinete e lá os vizinhos apontaram que ambas se conheciam desde o mês de novembro. A mulher já mudou as versões mais de uma vez e, em uma delas, disse que conheceu a idosa quando a ofereceu uma corrida, como se fosse por aplicativo, quando a encontrou em um ponto de táxi. Aos poucos, ela foi ganhando a confiança e sempre fazia corridas para a vítima”, afirmou ao G1 a delegada Christiane Grossi.

Ainda conforme Grossi, a idosa sempre recorria a ela quando precisava sair do bairro onde morava até a concessionária de energia ou então para fazer compras em mercado, por exemplo. “Em uma destas viagens, elas foram em uma loja de departamento. A idosa foi reclamar por conta do preço alto da fatura, quando descobriu que a autora havia utilizado o cartão dela. Ela então disse que a denunciaria, quando a mulher a agrediu brutalmente e abandonou o corpo no Indubrasil, com lixo por cima”, relata.

Entenda o caso

A vítima estava desaparecida deste o último sábado (23), quando saiu da casa dela no bairro Santo Antônio. Já a suspeita, que possui quatro filhos e mora no bairro São Jorge da Lagoa, dirigia para os idosos. Ela possui antecedentes por estelionato.

Quando houve o desaparecimento, vizinhos informaram que ela não dormia fora de casa e mantinha o imóvel todo arrumado. “Ela vivia sozinha e eles estranharam o fato dela não aparecer no sábado e domingo, então chegaram a pensar que ela poderia estar morta dentro do imóvel. A investigação ocorreu em parceria com a Delegacia Especializada em Repressão à Homicídios (DEH) e então encontramos o corpo no Indubrasil, com muita violência e sangue espalhado no meio-fio”, finalizou Grossi.

O caso foi registrado na 7ª Delegacia de Polícia, como homicídio doloso e ocultação de cadáver. Somadas, as penas máximas chegam a 23 anos de reclusão.

Via: G1