Mulher mantinha filha de 10 anos em cárcere privado e cobria janelas para impedi-la de ver o sol

06/02/2019 às 08:16. Comente esta notícia!

Uma criança de 10 anos de idade, mantida em cárcere privado pela mãe, segundo o Conselho Tutelar, foi resgatada da casa onde morava, em Santo Amaro, no Centro do Recife, pelo pai. De acordo com a Polícia Civil, o resgate ocorreu na segunda (4), mas o caso foi registrado nesta terça (5).

Foto: Thales Pitter/Conselho Tutelar do Recife/Divulgação

Um inquérito foi aberto no Departamento de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), na Madalena, na Zona Oeste do Recife, para apurar a conduta da mulher, de 42 anos. Segundo o conselheiro tutelar Thales Pitter, que acompanha o caso desde 2016, não é a primeira vez que a mãe deixa a garota em cárcere privado.

“A criança não estudava desde 2017 e nem matriculada estava. A mulher colocava panos nas janelas para que a menina não visse a luz do sol. Em ouvida, a criança nos pediu ajuda. A mulher a privava de estudar, de brincar e mesmo de comer. Em 2016, encaminhamos a mãe para o Centro de Atenção Psicossocial, porque tudo indica que ela está com problemas psicológicos”, diz Thales.

“A menina estava visivelmente abaixo do peso, pálida, não interagia e era muito calada. Está fora da faixa etária dela por causa de tanta privação de contato”, afirma o conselheiro.

Ainda segundo o Conselho Tutelar, a mulher mudou-se para Alagoas, com a ajuda do pai dela, depois de ter sido notificada pelas condições de vida da filha em 2016. O caso continuou sendo monitorado pelo Conselho Tutelar alagoano, mas, de acordo com Thales, a mulher voltou a Pernambuco em 2018.

“Soubemos que ela voltou para a mesma casa e, no fim de janeiro, recebemos informações de que ela estaria praticando os mesmos atos. Fomos ao local e vimos que era verdade, na sexta (1º), mas a polícia disse que não podia entrar na residência. O pai chegou ao Conselho Tutelar na segunda e, com os direitos de genitor, resgatou a filha”, conta o conselheiro.

O caso é investigado pela delegada Lucia de Fátima, que ouviu a mãe, o pai e a criança. A menor de idade foi encaminhada ao Instituto de Medicina Legal (IML), também em Santo Amaro, para passar por exames. Em seguida, passa a ficar sob a guarda do pai.

Violência contra crianças

Na quinta (31), uma mulher foi presa preventivamente por espancar os filhos, no Recife. Ela, que foi filmada praticando a violência, sofreu ameaças de vizinhos, pediu ajuda à Polícia Militar e chegou a passar um dia sob custódia no DPCA antes da prisão.

A gravação das agressões foi feita pela avô paterna das quatro crianças, que têm idade entre nove meses e seis anos. A menina mais velha contou que apanhava da mãe com sola de sapato, mangueira e fio elétrico, além de ter relatado que foi abusada sexualmente por outra pessoa.

No mesmo dia, um menino de um ano e três meses foi abandonado em um apartamento de um conjunto habitacional, em Afogados, na Zona Oeste do Recife. A partir de denúncias da comunidade, o Conselho Tutelar e a Polícia Militar resgataram a criança, deixada sozinha pela mãe, que seria usuária de drogas.

Na sexta (1º), a polícia informou que um padrasto é suspeito de espancar um menino de cinco anos no bairro de Córrego do Abacaxi, em Olinda. A partir de uma queixa prestada pelo pai da vítima, foi instaurado um inquérito para investigar o caso de lesão corporal.