Motorista de ônibus recupera celular roubado durante viagem em Copacabana e viraliza nas redes sociais

19/08/2019 às 16:06. Comente esta notícia!

O motorista de ônibus Ronaldo Martins Evangelista recuperou neste domingo um celular Galaxy J7 que havia sido roubado enquanto ele dirigia um ônibus da Linha 432 (Leblon-Vila Isabel) em Copacabana, por isso, conquistou uma legião de fãs nas redes sociais. Compartilhada na internet pela estudante Julia Ribeiro, de 23 anos, a história alcançou mais de 15 mil interações em menos de 14 horas.

Moradora de Niterói, Julia voltava com a amiga Paloma Almeida da Praia de Copacabana por volta de 17h30. Quando o ônibus parou na altura do número 759 da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, uma mulher que via mensagens na tela de seu celular teve o aparelho roubado por um bandido que estava do lado de fora do veículo. De acordo com o relato, a mulher gritou “Ronaldo, meu celular”. Em resposta ao chamado, o motorista parou o coletivo, xingou a passageira e foi atrás do ladrão:

– Ninguém achava que ele ia conseguir. Pela foto, dá para ver que o Ronaldo não é um cara novo. Ficamos preocupados também do ladrão não estar sozinho e algo acontecer com o Ronaldo também – afirma Julia.

A perseguição ao bandido durou cerca de 10 minutos, tempo suficiente para que os passageiros descobrissem que a vítima do assalto se chamava Lúcia e era esposa de Ronaldo. O motorista só alcançou o bandido depois que o ladrão foi derrubado por outro pedestre que caminhava na região. Após os instantes de apreensão, o motorista retornou aos veículo sem trazer nada nas mãos. Entretanto, quando estava perto do ônibus, ele sacou do bolso o celular recuperado, provocando uma explosão de alegria entre os passageiros.

– Todo mundo foi à loucura e eu não sei como o ônibus não virou de tanto que a gente pulou – relembra Julia, que se formou em dezembro no curso de graduação de Línguas estrangeiras aplicadas a negócios internacionais da Cefet e agora se prepara para um mestrado em comunicação.

De acordo com ela, a luta de Ronaldo contra o crime é antiga:

– A Lúcia me disse que, quando ele trabalhava em uma linha que passava pela Lagoa, já conhecia os ladrões da área e alertava os passageiros para evitar novos roubos.

7 MIL COMPARTILHAMENTOS

Publicada por Julia no Facebook às 23h30 deste domingo, a história tinha 150 compartilhamentos 6 horas depois. Eles tinham se multiplicado para mais de 4 mil por volta de meio-dia desta segunda e eram 7 mil às 13h30. Cerca de 15 mil usuários da rede social curtiram a história e outros 4 mil fizeram comentários. Um deles foi o fotógrafo Fabricio Melo. Tocado pela história, ele se ofereceu para fazer gratuitamente um ensaio fotográfico de Ronaldo e Lúcia:

– O que me chamou a atenção foi o fato da história em si retratar a vida de um trabalhador. É praticamente uma parábola do cara que acorda, luta por quem ele ama e, mesmo quando uma adversidade chega até sua família, ele vai atrás e tenta resolver o problema – diz Melo – Somos apenas admiradores disso tudo. De vez em quando, é bom ver a felicidade simples no coração das pessoas, tanto do Ronaldo quanto da sua esposa ou dos passageiros cariocas do 432.

Julia também enxerga uma moral bonita por trás da história:

– Para mim, essa história mostra como as pessoas se apoiam em momentos difíceis. Pelo que a Lúcia me disse, foi o Ronaldo quem comprou para ela o celular. O Ronaldo é um grande herói.

Apesar do final feliz, a história poderia ter terminado muito mal não fosse a sorte e a habilidade do motorista. Procurado, o Sindicato das Empresas de Ônibus da Cidade do Rio (Rio Ônibus) informou por meio de representantes que, em casos de roubo, a orientação das companhias aos profissionais é que não reajam (nem persigam) os bandidos. Já para os usuários, o uso de celulares é liberado e inclusive estimulado, como mostram medidas recentes – como a instalação de Wi-Fi em curso nos veículos cariocas.

De acordo com números do Instituto de Segurança Pública, 129 celulares na região de Copacabana foram roubados entre os meses de janeiro e junho deste ano. A quantidade é quase 90% maior do que a verificada no mesmo período do ano passado, quando 68 aparelhos foram levados. Os roubos em coletivo na localidade também subiram de 27 no primeiro semestre de 2018 para 35 na mesma fase de 2019.

Via Jornal Extra