Moradores de rua ganham ceia de natal no Espírito Santo

18/12/2018 às 15:57.

Para 40 moradores de rua da Praça Regina Frigeri Furno, em Jardim da Penha, Vitória, o Natal chegou mais cedo – isso porque diversos voluntários da Paroquia São Francisco de Assis organizaram uma grande ceia para servir todos os homens, mulheres e crianças que compareceram.

A iniciativa contou com o auxílio de um ônibus adaptado com chuveiros para que as pessoas pudessem tomar banho e ainda houve distribuição de kits com roupas e cortes de cabelo.

Organizado pela Pastoral do Povo de Rua, o projeto é tocado pelo pároco Adenilson Shmidt. “O próprio Jesus quando quis se revelar a nos se mostrou na pobreza. O que a igreja pode oferecer a sociedade é cuidar dos pobres. Reconhecer nessas pessoas a sua dignidade, seu valor. Reconhecer nelas o rosto do cristo, pobre, sofredor, que pede a cada um de nós ‘tenho sede, tenho fome’. E a gente, na medida do possível, tenta ajudar”.

O padre guiou um momento especial de oração e reflexão antes do início da ceia. Segundo Adenilson, o objetivo do projeto é retirar essas pessoas da situação de rua e dar-lhes dignidade para que possam construir um novo futuro, provendo-lhes qualidade de vida.

Precisando de ajuda

Há mais de duas décadas morando nas ruas devido ao vício crônico com drogas e álcool, Cristiane Bermudes, de 43 anos, aproveitou a ação para tomar banho e vestir novas roupas. “Tomei um banho gostoso porque esta um calorão danado hoje e a água estava uma delícia”, disse.

Ela afirma que sofre bastante com o preconceito por ser moradora de rua. “A sociedade discrimina muito a gente. Muitos [de nós] somos doentes na droga e na bebida, mas a maioria não nos vê assim.”

Esperança para o próximo ano

Everton Luiz da Silva, de 32 anos, foi um dos que compareceram à praça para a ceia. Ele diz que está morando na rua há oito meses, desde que foi demitido do emprego; apesar das dificuldades, disse que sente feliz e agradecido com a boa ação da Pastoral. Além disso, gostou de confraternizar com os demais presentes que infelizmente estão em situação semelhante.

Moradores de rua ganham ceia de natal em Jardim da Penha. Foto: Reprodução/Gazeta

“A solidariedade que vem de quem também está na rua é muito grande. Tentamos nos superar todo dia dos nossos vícios, dos nossos problemas. Às vezes um chinelo, uma roupa, uma palavra amiga é muito importante”, desabafou.

Esperançoso para o ano que chega, Everton espera encontrar uma oportunidade de trabalho para superar o momento difícil e mudar sua própria história. Além disso, pede por políticas públicas eficazes para ajudar moradores de rua que precisam abandonar o vício em drogas e álcool.

“Essa situação não é digna para ninguém”, diz.