Monges adotam cachorrinho e a internet o batiza de ‘Frei Bigode’

17/12/2018 às 17:01. Comente esta notícia!

 

Um mosteiro franciscano na cidade de Cochabamba, na Bolívia, ganhou mais um inquilino! Mas não, não é mais um “típico” monge franciscano – pelo menos não um “monge humano”, mas sim um cachorrinho muito fofo.

 

 

O cachorrinho da raça Schnauzer, foi apelidado de Carmelo, em homenagem a um dos monges, quando há 4 meses foi doado por um dos fiéis que frequentam o mosteiro.

Ele já está tão habituado a sua nova ‘vida religiosa’ que ganhou até um hábito igual aos usados pelos monges. O doguinho está fazendo tanto sucesso na internet que ganhou o apelido de “Frei Bigode”.

 

 

Frei Jorge Fernandez explica que o hábito do cachorrinho não foi nada difícil de adaptar, pois já o usavam anteriormente para vestir fantoches e animar as crianças que os visitavam.

Mas, apesar do querido “Frei Bigode” parecer calminho, Frei Jorge diz que ele tem feito um verdadeiro rebuliço no mosteiro: “Morde tudo, destroça, tira as coisas do lugar. Só damos conta das coisas quando as encontramos no jardim”, mas a alegria que ele trouxe ao lugar ultrapassa tudo e agora eles não conseguem mais imaginar suas vidas sem Carmelo, a.k.a. “Frei Bigode.”

 

 

Convém sempre relembrar, que a adoção de um animal é um ato que deve ser ponderado e feito com muita responsabilidade, pois afinal, é uma vida que ficará sob nossa responsabilidade.

Infelizmente, o que não falta por aí são pessoas que depois de adotarem um animal, se dão conta da responsabilidade e acabam desistindo. E o caso de Carmelo foi esse mesmo e se não fosse pelo mosteiro e a bondade dos monges, provavelmente teria sido abandonado à sua sorte.

Um dos monges resumiu bem o motivo que os levou a amparar o cachorrinho: “Se existem homens que excluem qualquer criatura de Deus do abrigo, da compaixão e da misericórdia, haverá homens que tratam seus irmãos da mesma maneira”.

Que esta história sirva de exemplo para todos os que pensam em adotar um animal. Que tenham a noção que a adoção deve ser feita com amor, vontade e sobretudo, responsabilidade!

 

 

Fonte:  Portal do animal