Ao Vivo

Mistério das sementes da China pode ser estratégia de marketing ilegal

08/10/2020 às 08:18.
Técnicos recolheram duas plantas que nasceram das sementes misteriosas no interior do Paraná. Foto: Adapar
O mistério das sementes enviadas da China pelos Correios pode estar sendo finalmente desvendado. As estranhas encomendas que chegam sem solicitação vêm chamando a atenção no Paraná e em todo o país podem estar relacionadas a uma prática ilegal de marketing chamada brushing scam (termo em inglês traduzido seria c próximo de “golpe da escovação”).

A prática de envio de pequenos produtos sem sentido para vários remetentes não é muito nova. “Já é conhecido de grandes empresas do comércio on-line. Eles enviam lacinho de cabelo, embalagens de grife vazias, pedaços de papel, tudo isso para turbinar o desempenho da loja na internet”, explica André Inohara, diretor executivo da Inovasia Consulting, que auxilia empresas brasileiras a consolidar parcerias com países asiáticos.

O brushing scam funciona da seguinte forma: a empresa envia para vários destinatários pequenos produtos leves, que não pesa na postagem. Pode ser um laço de cabelo, papel ou até sementes, como nos últimos casos – tudo isso para baratear custos de postagem.

Semente que chegaram em encomenda vinda da China na casa de uma curitibana. Foto: Colaboração

Assim que o produto chega ao destino final, um perfil falso faz uma avaliação positiva do produto no próprio site. “Eles comentam a agilidade da empresa, dizem que a entrega foi mais rápida que o esperado. Com isso, o algoritmo de busca coloca a empresa no topo das pesquisas”, revela Inohara.

No entanto, a estratégia é ilegal, tanto na China como o Brasil. “A China condena as empresas que fazem brushing scam. Caso fique comprovada a prática, a empresa teria que apagar os posts falsos do ar e ser banida do comércio on-line”, informa o diretor executivo da Inovasia. Como o envio da encomenda acontece, a operação é real. Mas como o produto não foi solicitado pelo cliente, se torna uma fraude.

Por que sementes?

Embora aconteça essa possível prática de marketing ilegal por trás do envio das sementes, existe uma pergunta que ainda não foi respondida: por que sementes?

Casos parecidos foram registrados nos Estados Unidos, Canadá e diversos países da Europa. No Brasil, quase todos os estados apresentaram relatos de recebimento de sementes da China pelos Correios – de acordo com o Ministério da Agricultura, até terça-feira (6) só Amazonas e Maranhão não registravam nenhum caso.

Com o aumento constante de casos, o Ministério da Agricultura emitiu alerta para que essas sementes não sejam plantadas e muito menos jogadas no lixo comum. Segundo o órgão, elas devem ser encaminhadas ao órgão de defesa agropecuária mais próximo – confira a lista de locais no Paraná.

O Ministério da Agricultura recolheu um total de 258 amostras em todo o país e faz análise em 39 delas, das quais 25 apresentaram fungos, dois deles com presença de bactérias, um com ácaros vivos e quatro identificadas como plantas daninhas.

O Paraná é um dos líderes de envio das sementes misteriosas, com 34 casos sendo avaliados pela Secretaria Estadual de Agricultura. Também foram recolhidas duas plantas que nasceram das sementes.

Foram coletadas sementes recebidas em Curitiba, Colombo, Paranavaí, Marechal Cândido Rondon, Maringá, Fazenda Rio Grande, Mauá da Serra, Londrina, Ponta Grossa, União da Vitória, Icaraíma, Marmeleiro, Rolândia, Jacarezinho e Palmeira. As duas plantas analisadas pela Adapar vieram de Maringá e Londrina.

“A gente tem recebido ligação de pessoas que receberam essas sementes quase que diariamente. Acredito que muita gente acaba não nos avisando. O mais importante de tudo é que as pessoas tenham consciência para não plantar e destruir o material, não pode jogar no lixo comum” explica Renato Rezende Young Blood, gerente de sanidade vegetal da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), órgão ligado à Secretaria de Agricultura.

Embora o envio dessas sementes esteja ligado a casos de brushing scam, ainda não está descartada a possibilidade de um possível bioterrorismo, já que as sementes podem representar riscos para a agricultura do país.

Todas as plantas e sementes recolhidas pela Adapar foram encaminhadas para análise, que é feita pelo Ministério da Agricultura. Somente com a conclusão dessas análises é que será possível afirmar se as sementes estão livres de doenças ou pragas. Os primeiros testes devem ficar prontos ao longo da próxima semana.

China diz ver indícios de fraude

O caso dos envios das sementes misteriosas é investigado pelo Ministério da Agricultura, que pediu explicações para governo da China. Em nota, a embaixada chinesa no Brasil diz que pode haver fraude nas etiquetas dos pacotes com sementes enviados para diferentes endereços no Brasil.

A diplomacia do país asiático disse ainda que os pacotes recebidos com ideogramas chineses possuem erros no código de rastreamento e que sementes são consideradas artigos de remessa proibidos pelos correios no país. Por fim, a China afirmou que pretende colaborar com as investigações e se colocou à disposição das autoridades brasileiras.

Via: Tribuna Do Paraná