Ao Vivo

Menino ‘desaparece’ por 3 h para brincar com tablet e família mobiliza polícia

17/07/2017 às 08:59.

Criança havia sido proibida de brincar com o aparelho e se escondeu para usar.

Proibido de usar tablet, menino se escondeu para brincar com o aparelho (Foto: Thomas Peter/Reuters)

Proibido de usar tablet, menino se escondeu para brincar com o aparelho (Foto: Thomas Peter/Reuters)

Uma família da Zona Leste de Teresina viveu momentos de apreensão com o “desaparecimento” de uma criança de 6 anos nessa quarta-feira (12). Os pais passaram três horas sem informações do menino e acionaram a polícia. Depois de muitas buscas, a família encontrou a criança escondida dentro de um guarda-roupa com um tablet. O menino se escondeu porque os pais o haviam proibido de usar o aparelho.

“O avô do menino veio à delegacia nos pedir ajudar para encontrar a criança. Acionei uma equipe para fazer buscas pelas ruas próximas à residência com o objetivo de encontrar o menino, mas não achamos. Depois fiquei sabendo que garoto pegou o tablet dos pais e foi brincar com o eletrônico escondido, porque os pais haviam proibido o uso”, afirmou o delegado Ademar Canabrava, titular do 12º Distrito Policial.

Segundo o delegado, a família acreditava que menino tinha sido sequestrado, mas a polícia só poderia trabalhar com a hipótese de desaparecimento depois de 24 horas. A polícia militar, por meio do 5º Batalhão, também foi acionada para procurar o garoto.

O G1 conversou com o avô da criança que que não quis se identificar, mas relatou a aflição que passaram sem notícias do garoto. O sumiço também foi divulgado em redes sociais em busca de informações.

Caso foi amplamente divulgado nas redes sociais (Foto: Reprodução/Internet)

Caso foi amplamente divulgado nas redes sociais (Foto: Reprodução/Internet)

“Chamamos a polícia e conversei também com pessoas que eu conheço. Foram três horas de aflição com todo mundo procurando por ele”, relatou.

O aposentado contou que a preocupação aumentou quando a família não viu o garoto em imagens das câmeras de segurança. “Buscamos todas as câmeras da região, mas não tinha nada. Isso preocupou mais”, afirmou.

Depois de horas procurando, a criança foi encontrada em um armário da casa, sem ferimentos e tranquilo. “Ele passou as três horas no armário, mas enquanto isso foi um Deus nos acuda”, disse.

Orientação

A psicóloga infantil Elyda Veruska orienta os responsáveis sobre a proibição quanto ao uso de eletrônicos pelas crianças, principalmente no período de férias. Para ela, os responsáveis devem estabelecer regras como definir horários e tempo de uso, mas não proibir.

“Além disso, é importante acompanhar o que eles estejam vendo. Verificar quais páginas eles estão abrindo, com quem estão conversando. Dessa forma, o mais correto é incentivar aos filhos para praticar atividades recreativas”, afirmou a psicóloga.

Via: G1