Menino deixa o cabelo crescer por quase dois anos para ajudar amigo com câncer

17/12/2018 às 09:24.

Na última quarta-feira (12), o pequeno Lorenzo, de apenas 9 anos, doou as mechas de cabelo para a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Joinville (SC), que confecciona perucas e entrega a pessoas em tratamento contra a doença

Lorenzo deixou o cabelo crescer por quase dois anos para doar a uma instituição (Foto: Reprodução/Facebook)

“Mamãe, quero deixar o meu cabelo crescer.” Era março de 2017, quando Viviane Koenig foi pega de surpresa pela forma como o filho Lorenzo, na época com apenas 7 anos de idade, comunicou a sua decisão. O motivo? Ele queria doar suas mechas para um amigo que estava começando uma batalha contra um câncer no cérebro. “Mostrei as fotos do amiguinho em tratamento, expliquei o que estava acontecendo e o Lorenzo ficou muito comovido. Queria ajudá-lo de alguma forma, mas não imaginava que ele levaria tão a sério essa decisão”, conta a mãe.

Lorenzo deixou o cabelo crescer por quase dois anos para doar a uma instituição (Foto: Reprodução/Facebook)

Ao todo, foram quase dois anos deixando o cabelo crescer até que os fios atingissem o comprimento necessário para doação. Segundo Viviane, não foram poucos os desafios que o menino enfrentou ao longo desse tempo: primeiro, vieram as mudanças na rotina, que incluíam sempre desfazer os nós e secar o cabelo após o banho; depois, os comentários maldosos e as chateações. Quando as piadinhas e as incomodações surgiam, Lorenzo questionava se o cabelo já tinha o comprimento mínimo para a doação e, diante da negativa, se mantinha firme. “Então, ainda não vou cortar, não me importo com o que as pessoas dizem.” “Tanto eu como meu marido fomos a favor da decisão dele, mas sempre deixamos claro que não precisaria continuar com a ideia se isso estivesse o incomodando. Eu tinha receio do que as pessoas poderiam falar, mas ele tirou de letra e se mostrou forte e determinado o tempo todo”, explica Viviane.

Lorenzo deixou o cabelo crescer por quase dois anos para doar a uma instituição (Foto: Arquivo pessoal)

Na última quarta-feira (12), porém, após 1 ano e 10 meses, a jornada chegou ao fim: depois de cortar o cabelo, Lorenzo levou as mechas de cabelo até a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Joinville (SC), onde vive com a família. A instituição confecciona perucas e entrega a pessoas em tratamento contra a doença nos hospitais da cidade. Agora, já sem o cabelão, Lorenzo admite que gostou de retomar o antigo visual: “É muuuuuito melhor o cabelo curto, mas vou deixar crescer de novo para doar mais uma vez!”.

No início deste ano, quando ainda estava com os fios compridos, ele virou motivo de chacota numa aula de Educação Física por ser o único menino da turma com cabelo longo. Ao perceber o que estava acontecendo, a professora chamou todas as crianças para uma conversa e perguntou se elas sabiam o porquê de Lorenzo estar deixando o cabelo crescer. Diante da negativa, explicou e disse que todos deveriam ter orgulho em conhecer um amigo com tanta coragem e determinação. No fim das contas, ela tinha razão, não?