Marca curitibana representa o Brasil na semana de moda da África do Sul

26/10/2018 às 10:54. Comente esta notícia!

Enquanto o Brasil tem os olhos voltados para a 46ª edição do SPFW, uma marca de Curitiba foi escolhida para representar a moda brasileira no continente africano ao longo desta semana. A Reptilia, comandada pela arquiteta e designer Heloisa Strobel Jorge, apresenta “Mulheres Extraordinárias”, sua nova coleção, nas passarelas da 34ª SAFW, a Semana de Moda da África do Sul.

Ao lado da estilista gaúcha Helen Rödel (marca homônima), a dupla brasileira integra o projeto BRICS Show a convite do Ministério da Cultura, Itamaraty e Unesco. O objetivo da atração é reunir nomes da cena fashion de cada um dos países que compõem o grupo político fundado em 2009 — Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Heloisa explica que o evento se divide em duas etapas, começando pelo desfile de cada um dos designers convidados. Na quarta-feira (24), Helen apresentou sua coleção; nesta quinta (25), é a vez da curitibana. Durante a segunda parte da programação, os criadores representantes do BRICS participarão de um fórum com palestrantes e profissionais da área. “A ideia é conectar e estreitar relações entre estes países no campo da moda. No ano que vem, o Brasil será anfitrião deste encontro, o que nos traz ainda mais responsabilidade aqui”, exclama.

Colheita de sucesso
A participação das marcas brasileiras na semana de moda sul-africana é fruto de um caminho semeado há cinco anos. Em 2013, ambas venceram o concurso BtoBe – Brazilians to Be, uma incubadora de jovens talentos da moda brasileira promovida pela Apex e Programa TexBrasil.

“Passamos três anos neste projeto, que tinha como objetivo profissionalizar designers que carregam um DNA brasileiro, preparando-os para atividades de exportação. Foi com esse projeto que apresentamos nossa primeira coleção comercial em Paris, em 2014, na feira Who’s Next”, conta Heloisa. Hoje, além da loja em Curitiba, ela mantém pontos de venda da Reptilia em São Paulo, Kuwait, EUA e França.

A designer lamenta o encerramento da incubadora em 2017 por conta do fim do governo Dilma, mas celebra os efeitos positivos do projeto. “Nós entramos no ‘radar’ da Apex e das ações internacionais de moda. Estamos participando também do MICBR 2018, que ocorre de 5 a 11 de novembro em São Paulo”, diz. A curitibana e a gaúcha foram escolhidas para representar o Brasil em um dos desfiles que cada país do Mercosul apresentará durante o evento.


Foto: Renata Wajdowicz / Divulgação

Moda que atravessa oceanos
O desfile de primavera/verão 2019 da Reptilia ocorre nesta quinta-feira (25), no Sandton City Rooftop, em Joanesburgo. Em “Mulheres Extraordinárias”, a designer explora o conceito easychic em uma combinação de processos artesanais e tecnológicos, sempre seguindo os preceitos do Slow Fashion. “O mood é um verão despretensioso, a sensação de recém sair da praia e seguir a rotina urbana de uma grande cidade”, explica Heloisa, que se inspirou nas calçadas cariocas e na mulher multifacetada para compor a coleção.

Fibras naturais, como seda e viscose, se mesclam com malhas tecnológicas de toque macio e pontos de transparência e formam peças com modelagens amplas. É o caso da camiseta longa com recorte frontal e da icônica Calça C, que se constrói em formas curvas e se adapta a todos os corpos – femininos ou masculinos.  A cartela de cores passa por tons de berinjela, vermelho, preto e branco.

As franjas de seda, tão características da marca desde que foi criada, em 2013, também reforçam a identidade da curitibana e são apresentadas em tingimento manual. A Reptilia leva consigo, em parceria, as bolsas artesanais da catarinense Laura Pereira, acessórios da marca curitibana Austral e óculos em madeira da Holls Handmade, também de Curitiba, para compor a apresentação. Nos pés, nada menos do que as brasileiríssimas Havaianas para compor o styling do desfile.

A nova coleção foi fotografada na loja-atelier em Curitiba, onde já está disponível em pré-venda.