Mãe perde a memória depois de sofrer eclampsia durante o parto

08/10/2019 às 09:58.

Já imaginou não recordar do momento que seu filho deu os primeiros passos ou do dia do seu casamento? É isso que acontece com a americana Camre Curto que precisa ser lembrada frequentemente pelo marido Steve de momentos marcantes de sua vida.

Em 2012, Camre sofreu eclampsia, forte convulsão durante o parto do primeiro filho que deixou seu cérebro sem oxigênio de 5 a 8 minutos. O bebê Gavin nasceu por uma cesárea de emergência e se recuperou bem, mas Camre teve um vasto dano cerebral que afetou a maneira com que seu cérebro processa e armazena memórias.

No começo, Camre esquecia de tudo que havia acontecido em questão de segundos. “No hospital ela olhava para mim como se eu fosse um estranho”, disse Steve em entrevista ao The Guardian. “Quando levei-a até a UTI Neonatal onde nosso filho ficou internado, ela fez carinho nele de forma distraída e percebi que ela não tinha ideia de que era nosso bebê. Se saísse do quarto, ela não lembrava mais de mim quando eu voltava. Todas as suas lembranças se foram – sua infância, minha proposta de casamento, sua alegria com a gravidez – e ela não conseguia criar novas memórias”.

Fisicamente, Camre se recuperou, mas o marido precisou ensiná-la diversas vezes a realizar tarefas como escovar os dentes e trocar a fralda de Gavin. “Seis semanas depois do Gavin nascer Camre olhou para mim e disse: ‘Não sei quem você é, mas sei que te amo’. A partir daí as coisas mudaram para melhor”, afirmou ao jornal britânico.

Com ajuda de terapia e dos familiares, Camre reaprendeu a realizar tarefas do dia a dia sem ajuda e não precisa mais de lembretes diários sobre quem são seu marido e filho. Atualmente, a memória de curto prazo de Camren dura de três a quatro dias, mas os médicos não sabem dizer se a memória de longo prazo um dia voltará.

O casal tenta, quando possível, levar a situação de forma bem-humorada. “Dei a ela o mesmo cartão no Dia dos Namorados por três anos seguidos. É um cartão bobo com um ursinho e toda vez que eu entregava ela achava hilário. No quarto ano, ela disse: ‘Você me deu isso no ano passado!’ Nunca fiquei tão satisfeito em ser descoberto!”, disse Steve.

Em setembro deste ano, Steve e Camre lançaram um livro autobiográfico compilando trechos de diários que os dois escrevem como forma de terapia. Ambos mantém a esperança de que ela se recupere completamente.

Via: Revista Crescer