Luciano Huck não vai poder reformar casa de moradora de Curitiba

22/08/2018 às 08:25. Comente esta notícia!

A vinda de Luciano Huck a Curitiba para gravar um episódio do quadro Lar Doce Lar, do Caldeirão do Huck, na última sexta-feira (17), tinha um objetivo bem específico: reformar a casa de uma das moradoras da Vila 29 de Outubro, no bairro Caximba. No entanto, a proposta inicial da visita acabou não se concretizando, após uma ligação do prefeito Rafael Greca (PMN) ao apresentador, explicando que a comunidade está localizada em uma área de invasão que a Prefeitura está tentando regularizar e que o global não deveria incentivar a permanência dos moradores lá, doando material para a reforma.

Alheia às disputas políticas que envolveram o quadro, Edilaine Aparecida de Lima, de 34 anos, acabou sem a casa reformada. Ganhou do programa de Huck, porém, dinheiro para fazer melhorias na residência, além de eletrodomésticos, panelas, brinquedos e recursos para manter o projeto social que desenvolve na região.

 

Foto: Reprodução/Instagram/Luciano Hulk

Desde que foi morar na vila, ela atende crianças que têm entre 4 e 16 anos na Biblioteca Amigos do Caximba. Participam das atividades, oferecidas no contra-turno escolar, 180 meninos e meninas. A maioria dos pais trabalha recolhendo materiais recicláveis. “Eu sei o que é trabalhar com os filhos dentro do carrinho. Quero dar a essas crianças a oportunidade de uma vida diferente”, diz Edi, como é conhecida na comunidade.

Mãe de quatro filhos, ela foi expulsa de casa pela família de classe média aos 15 anos, quando engravidou pela primeira vez. Viúva duas vezes, Edi deixa de lado as histórias tristes quando se fantasia de Emília – aquela, do Sítio do Pica Pau Amarelo – para contar outras narrativas, mais alegras, às crianças atendidas.

“Ser ajudada pelo programa do Luciano foi uma surpresa, um dia diferente. Foi uma pena a casa não poder ser reformada, mas realmente não temos a documentação. O pior é não ter certeza se vamos ficar aqui ou não. Ninguém sabe”, conta, referindo-se à possibilidade de sair da região por conta do novo bairro que está sendo planejado pela prefeitura.

Repercussão negativa

O post de Huck comparando a comunidade ao Haiti não teve reações ruins somente com o prefeito Rafael Greca. Moradores da região ficaram revoltados com a comparação. “Ele veio aqui para fazer a imagem dele em cima da população. Queremos melhorias, mas nossas crianças não estão nas ruas sem ter o que comer”, critica Rosenil do Rocio dos Santos, presidente da Associação de Moradores da região.

Até as fotos tiradas pelo apresentador com os moradores viraram motivo de comentários na vila. Professora Gaivota, que toca o projeto Move Vidas na Comunidade Abraão, vizinha à 29 de outubro, diz que o apresentador “ficou chocado”. “Na foto que eu tirei ele está até com uma cara estranha”, descreve.

Mas, se a visita de Huck não resultou na reforma da casa e acabou revoltando alguns moradores, para outros o saldo pode ter sido positivo. “É bom que as pessoas vejam a nossa realidade para que sejam feitas melhorias no comunidade. A gente vai ficar aqui por mais algum tempo, até que as novas casas estejam prontas. Que seja em condições um pouco melhores, então”, pondera Gaivota.