Ao Vivo

Lotação de UTIs em Curitiba chega a 94% e se iguala a julho. Cidade tem 21 leitos livres

27/11/2020 às 08:49.

Foto: AEN.

Curitiba igualou, nesta quarta-feira (25), à maior taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) já registrada desde o início da pandemia do novo coronavírus, decretada em março. Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, atualmente 94% das UTIs adultas exclusivas para covid-19 estão preenchidas e restam apenas 21 leitos na cidade. Este índice repete o registrado no dia 19 de julho, quando Curitiba tinha 345 leitos ativos ao invés dos 334 de hoje. Quatro hospitais da rede particular estão sem vagas para atender novos casos de emergência.

A escalada assustadora de casos apresentou no último boletim divulgado nesta quarta-feira (25), 1597 novas confirmações da doença na capital com 11 mortes, sendo 8 nas últimas 48 horas. As vítimas foram cinco homens e seis mulheres, com idades entre 56 e 93 anos. Até o momento, 1660 mortes em Curitiba provocada pela doença desde março.

Com a taxa de ocupação de 94%, quatro dos nove hospitais de Curitiba com leitos exclusivos para coronavírus da rede SUS estão lotados (ver lista completa abaixo). Erasto Gaertner, São Vicente, Evangélico Mackenzie e Trabalhador estão com 100% na ocupação nas UTIs. Outros quatro estão acima de 90% dos leitos sendo utilizados (Santa Casa, Hospital das Clínicas, Idoso e Hospital de Reabilitação).

O momento é complicado também para os hospitais particulares. O Sugisawa, Nossa Senhora das Graças, Marcelino Champagnat e o Instituto de Neurologia de Curitiba (INC) informaram que estão trabalhando com a capacidade máxima de ocupação de UTI e unidades de internação. Por causa do aumento expressivo de casos de coronavírus dos últimos dias, o pronto atendimento dos hospitais está no limite da sua capacidade.

Diante do avanço da pandemia na cidade, a prefeitura emitiu um decreto nesta terça-feira (24) suspendendo temporariamente todas as cirurgias e procedimentos eletivos em hospitais públicos e privados da cidade. Podem ser realizados procedimentos cirúrgicos eletivos essenciais, aqueles que podem gerar piora do quadro clínico, nas especialidades de cardiologia, urologia, oftalmologia, oncologia e nefrologia, além das cirurgias inadiáveis pós-traumas. Segundo a prefeitura, caso excepcionais deverão ser avaliados pela Secretaria Municipal da Saúde. A medida entrou em vigor na quarta-feira (25) e tem validade de 14 dias.

Ocupação Hospitais em Curitiba, litoral e região metropolitana nas UTIs

Hospital Erasto Gaertner: 5 leitos de UTI com 5 ocupados (100%). Enfermaria com 5 vagas e 4 ocupadas (80%).

Hospital São Vicente: 5 leitos com 5 ocupadas (100%). Enfermaria com 8 vagas e 2 ocupadas (25%).

Hospital Evangélico Mackenzie: 43 leitos com 43 ocupadas (100%). Enfermaria com 48 vagas e 47 ocupadas (98%).

Hospital do Trabalhador: 12 leitos com 12 ocupados (100%). Enfermaria com 8 vagas e 8 ocupadas (100%).

Hospital Cruz Vermelha: 8 leitos de UTI com 5 ocupados (63 %). Enfermaria com 10 vagas e 9 ocupadas (90%).

Hospital Santa Casa: 60 leitos de UTI com 57 ocupados (95%). Enfermaria com 75 vagas e 63 ocupadas (84%)

Hospital das Clínicas: 61 leitos de UTI com 60 ocupadas (98%). Enfermaria com 83 vagas e 78 ocupadas (94%).

Hospital do Idoso: 68 leitos com 64 ocupados (94%). Enfermaria com 128 vagas e 127 ocupadas (99%)

Hospital de Reabilitação: 62 leitos com 58 ocupados (94%). Enfermaria com 15 vagas e 15 ocupadas (100%).

Hospital Regional do Litoral: 20 leitos de UTI com 20 ocupados (100%). Enfermaria com 10 leitos e 10 ocupadas (100%).

Hospital do Rocio em Campo Largo: 125 leitos de UTI com 117 ocupados (94%). Enfermaria com 212 leitos com 109 ocupados (51%).

Hospital São Lucas Parolin em Campo Largo: 8 leitos com 8 ocupados (100%). Enfermaria com 10 leitos e 7 ocupados (70%).

Via: Tribuna Do Paraná